PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Força Nacional de Defesa Civil vai a Petrópolis (RJ) após mortes por chuva

Registro feito pelo internauta Vinni Petrocelli (@petroninfo) mostra rua debaixo d"água na madrugada em Petrópolis - Reprodução/Twitter
Registro feito pelo internauta Vinni Petrocelli (@petroninfo) mostra rua debaixo d'água na madrugada em Petrópolis Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, no Rio

18/03/2013 11h04Atualizada em 18/03/2013 12h13

O Governo do Estado do Rio de Janeiro informou nesta segunda-feira (18) que a Força Nacional de Defesa Civil está em deslocamento para a cidade de Petrópolis, na região serrana, onde dez pessoas morreram em decorrência das chuvas que atingem a cidade desde a tarde de domingo (17). A Força Nacional de Apoio Técnico de Emergência. ligada ao Ministério de Integração Nacional, foi criada para atuar na prevenção de desastres naturais e para ajudar na reconstrução de municípios destruídos.

Ainda de acordo com a nota, Cabral recebeu nesta manhã um telefonema da presidente Dilma Rousseff, que está em Roma, e também da ministra da casa Civil, Gleisi Hoffmann, oferecendo todo o apoio necessário por parte do Governo Federal a Petrópolis e demais áreas atingidas pelas chuvas.

O governador afirmou ainda que colocou toda a estrutura do Estado à disposição de Petrópolis. "Estou em contato direto com o prefeito Bomtempo. O secretário [estadual de Defesa Civil] Sérgio Simões já se encontra em Petrópolis. Reforçamos o número de bombeiros militares com a ida do Grupamento de Salvamento", afirmou o governador. "Colocamos todo o maquinário do Inea [Instituto Estadual do Ambiente] que já se encontra em Petrópolis para as eventuais necessidades nas áreas atingidas. Todo o governo foi acionado."

Entre os mortos pela chuva, estão dois técnicos da Defesa Civil. Há também dois irmãos --um adolescente e um bebê-- moradores do bairro de Quitandinha entre as vítimas fatais. Eles estavam em casa quando foram soterrados durante um deslizamento de terra.

A cidade foi o local mais afetado pelas forte chuvas que atingiram o Estado do Rio de Janeiro nas últimas 24 horas, apresentando 21 pontos de escorregamento ou alagamento. As localidades mais afetadas foram Quitandinha (com acumulado de 390 mm de precipitação em 24 horas), Independência (com acumulado de 277 mm de precipitação em 24 horas) e Doutor Thouzet (com acumulado de 267 mm de precipitação em 24 horas). A Defesa Civil estadual ainda informou que as fortes chuvas atingiram também os municípios de Angra dos Reis, Mangaratiba, Niterói, Teresópolis e Petrópolis.

Veja os estragos causado pela chuva na região serrana

O coronel Sérgio Simões informou que tem recebido grande número de solicitações de socorro, mas as equipes estão com dificuldade de chegar esses locais. Por volta das 10h30, chovia fraco em Petrópolis, mas a chuva pela parte da manhã foi moderada. Como o solo já estava encharcado, há risco de desabamento. Simões fez um apelo para que as pessoas saiam de suas casas e procurem locais seguros.

O prefeito Bomtempo decretou ponto facultativo nas escolas do munícipio, nesta segunda por conta dos problemas causados pelo temporal.  A Universidade Católica, a maior da cidade, também paralisou as atividades.

Cerca de cem bombeiros da cidade do Rio foram enviados a Petrópolis para ajudar nas buscas e salvamentos. Ainda chove na cidade e as equipes da Defesa Civil estão com dificuldade para chegar aos locais atingidos. O bairro de Quintandinha foi um dos mais afetados.

Teresópolis

Segundo a Defesa Civil, a chuva não deixou vítimas em Teresópolis, onde houve duas quedas de barreira --uma no bairro Santa Cecília e outra em Guarani--, uma queda de muro em Corta Vento, um deslizamento na Coreia e um alagamento em Vargem Grande. Durante a noite, as maiores quantidades de chuva foram de 168mm no Rosário, 100mm no Corta-vento e 89,4mm na Quinta Lebrão. Nesta manhã, a chuva diminuiu e caiu fina.

A Defesa Civil tocou as sirenes de alerta no noite de ontem e moradores dos bairros do Vale da Revolta, Caxangá, Rosário e Coreia saíram de suas casas em direção a pontos de apoio, locais dentro das comunidades onde as pessoas ficam durante o momento crítico da chuva e que não funcionam como abrigo.

O órgão municipal informou que 32 crianças e 27 adultos se alojaram em um colégio e na associação de moradores no Caxangá e voltaram para suas casas às 5h desta segunda-feira (18).

Angra dos Reis

Em Angra dos Reis, equipes da Defesa Civil se deslocaram por volta das 21h de domingo para o Parque Mambucaba, a Japuíba e o Pontal, onde houve transbordamento de rios. Em Mambucaba, o rio que passa pelo bairro já teve seu pico de maré. Na Japuíba, outro rio tem pontos de transbordamento na altura das ruas Rio Bonito e Mangaratiba.

Rio de Janeiro

A chuva colocou a capital fluminense em estado de atenção. O Rio de Janeiro entra neste nível quando há previsão de chuva moderada, ocasionalmente forte, nas próximas horas. Neste estágio, os operadores do Sistema Alerta Rio, da prefeitura, ficam em constante comunicação com os órgãos municipais que atuam nas situações de chuva.

Mais chuva

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a previsão para a região serrana nesta segunda-feira é de tempo nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas. A possibilidade de chuva é de 60% a 90% durante a tarde e a noite. A temperatura fica entre 16 °C e 25 °C. Já para terça-feira (19), a previsão é de tempo nublado a encoberto com chuva, com temperatura variando entre 14 °C e 24 °C. (Com Agência Brasil)

Cotidiano