PUBLICIDADE
Topo

Multas diminuem volume de lixo no chão em 34%, diz Prefeitura do Rio

Carolina Farias

Do UOL, no Rio

28/08/2013 11h47Atualizada em 28/08/2013 15h57

Em uma semana do Programa Lixo Zero, que aplica multa para quem joga lixo no chão, a Prefeitura do Rio de Janeiro diz ter diminuído em 34% a varrição das 75 ruas onde as equipes realizaram as autuações.

Entre o dia 20 de agosto e a noite de terça-feira (27), 467 pessoas foram multadas. Três delas entraram com recurso e duas autuações já foram pagas. Segundo o presidente da Comlurb (Companhia Municipal de limpeza Urbana), Vinícius Roriz, a maioria (50%) foi por jogar bituca de cigarro no chão, e o restante foi por materiais diversos --de latinhas a entulho. A multa por jogar a bituca no chão é de R$ 157.

"Fizemos uma pesquisa em campo com os garis e vimos o quanto ele juntava em um dia de trabalho antes e agora. A rotina deles mudou. Antes eles dedicavam mais tempo com a varrição e agora mudou. Eles têm que passar mais tempo esvaziando as papeleiras (lixeiras)", disse Roriz.

  • 10986
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2013/08/20/voce-concorda-com-a-cobranca-de-multas-para-quem-jogar-lixo-no-chao-no-rio.js

Das vias que mais registraram multas, a campeã é a avenida Rio Branco, com 90 autuações, seguida da Cinelândia, com 72, e da avenida Presidente Vargas, com 31. Apesar de voltar a campanha para estimular que o público cuide de seu lixo, como levá-lo até uma lixeira ou guardá-lo se necessário, Roriz disse que a prefeitura está comprando 14 mil papeleiras - as lixeiras laranjas pregadas em postes - o que deve aumentar em quase 50% o volume atual desses equipamentos. "Mas lembramos que a falta de papeleira não é justificativa para jogar lixo no chão", disse o presidente do órgão.

A Comlurb fará blitze nos mesmos moldes das realizadas pela operação Lei Seca para orientar e também multar quem for flagrado em locais onde ainda não há o programa, como o bairro da Lapa. A partir do dia 3 de setembro, as equipes começam a atuar em Copacabana, na zona sul, com 126 agentes que se dividirão em nove setores, do Leme ao Posto Seis.

As equipes vão atuar nos mesmos moldes das que agem no centro --agentes e guardas municipais com uma mini-impressora que identificam o infrator com o CPF e emitem na hora a multa. Caso não pague, o autuado terá o nome enviado para serviços de restrições ao crédito. Eles fiscalizarão o público nas calçadas e também das areias. Além de multar, as equipes vão orientar sobre a necessidade de manter as ruas e a praia limpas.

Surpresa

Roriz disse que as blitze serão nos moldes das operações da Lei Seca com o fator surpresa, mas, na primeira abordagem, os agentes vão apenas orientar os infratores. Na próxima vez que passarem pelo local, vão aplicar multas.

Cotidiano