Violência em São Paulo

Governo de SP oferece R$ 50 mil por informações sobre suspeito de estuprar e matar menina

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Polícia Civil

    Renato Mariano, 37, está foragido da Justiça

    Renato Mariano, 37, está foragido da Justiça

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo estipulou uma recompensa de R$ 50 mil a quem der informações efetivas que levem à prisão do suspeito de ter estuprado e assassinado da menina Carla Roberta Barboza, 9, em Santos, no litoral do Estado, em 29 de janeiro deste ano. R$ 50 mil é o valor máximo previsto pelo Programa Estadual de Recompensa. 

A resolução que prevê o pagamento foi publicada na edição desta sexta-feira (4) no Diário Oficial do Estado. Apenas seis dias depois, nesta quinta-feira (10), a SSP divulgou a imagem do suspeito.

"Fixa em até R$ 50 mil o valor a ser pago a quem fornecer informações que levem à captura de Renato Mariano, procurado por estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver praticados contra criança", informa a resolução.

Além de Renato Mariano, a SSP oferece recompensas por informações que levem à prisão de outros sete suspeitos. A nenhum outro há a recompensa máxima, de R$ 50 mil. As denúncias podem ser feitas pelo número de telefone 181 ou pelo site Webdenúncia (www.webdenuncia.org.br). A identidade do denunciante é preservada.

Segundo a SSP, a prisão preventiva do suspeito foi decretada pelo Juízo de Direito da Vara do Júri e Execuções do Foro da Comarca de Santos. A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Mariano. A polícia diz que o suspeito tem 37 anos e é viciado em crack. Ele trabalhava como catador de materiais recicláveis e morava próximo de onde a menina vivia com a família.

Mesmo sem localizar Mariano, a Polícia Civil afirmou que o caso foi esclarecido. Em nota, informou que "investigações identificaram o suspeito, bem como foi solicitada a sua prisão preventiva, que foi concedida pela Justiça. O homem está foragido e a Polícia Civil prossegue com as diligências para prendê-lo."

Arquivo Pessoal
Carla Roberta Barboza, 9, morava em Paquetá, bairro de Santos, litoral de SP

De acordo com as investigações da Polícia Civil de Santos, Carla Roberta foi encontrada morta próximo da casa onde vivia no bairro de Paquetá. Segundo a polícia, ela estava com a roupa levantada e sem calcinha. O laudo do IML (Instituto Médico Legal) confirmou que ela sofreu abuso sexual antes de ser morta. A causa da morte foi asfixia.

Antes do crime, a criança tinha ido, sozinha, brincar com outras crianças do bairro. As outras crianças, amigas da menina, informaram a família que ela tinha sido levada por um homem para dentro de um carro.

Como a menina demorou para voltar à casa, os próprios familiares começaram a fazer buscas por ela e foram informados por uma pessoa não identificada que o corpo de uma criança havia sido deixado em um terreno próximo dali. A polícia foi acionada, e a menina, identificada.

Ainda de acordo com as investigações, imagens obtidas de câmeras de segurança do bairro retratam um homem perseguindo a menina. Esse homem seria Renato Mariano. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos