Após 3 prêmios na Mega da Virada, lotérica na periferia de SP ganha fila em ''mês morto''

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

  • Aiuri Rebello/UOL

    Apostadores fazem fila na Lotérica Parelheiros, em São Paulo: 3 bilhetes premiados da Mega da Virada saíram no local

    Apostadores fazem fila na Lotérica Parelheiros, em São Paulo: 3 bilhetes premiados da Mega da Virada saíram no local

"Tem que aproveitar, né? Vai que a sorte ainda está dando bobeira por aqui", diz o mecânico Josimar Araújo, 38. Ele é uma das dezenas de pessoas que fazia fila em frente à Lotérica Parelheiros, localizada no Jardim Casa Grande, no extremo da zona sul de São Paulo, na tarde de quinta-feira (4).

Sol e calor fortes não assustavam os apostadores que esperavam em frente ao local, uma porta de garagem simples com uma pequena cobertura que não destoa da pobreza visível pela vizinhança. 

Na casa de apostas, a única naquela região carente da periferia da capital paulista, foram sorteados três dos 17 bilhetes premiados da Mega da Virada, que pagou ao todo um prêmio de R$ 306 milhões --pouco mais de R$ 18 milhões para cada bilhete--, o maior da história das loterias no Brasil.

"É muita sorte junta no mesmo lugar, vai que sobra um pouco para mim", brincava o mecânico enquanto esperava para apostar no próximo concurso da mega-sena, estimado em R$ 1,88 milhão e que será sorteado neste sábado (6).

"Joguei aqui na Mega da Virada e não ia jogar esta semana, não. Mas, depois do que aconteceu, eu estava passando pela frente aí já viu", afirma a diarista Luciana Moura de Souza, 32.

Na lotérica, os funcionários confirmam que o movimento aumentou depois do anúncio. Na quinta-feira, a fila ia até a rua. No local, nunca havia saído um prêmio principal da mega-sena, apenas uma quadra e uma quina em mais de dez anos. "Eu não sou de jogar, mas já que saiu aqui e tinha que vir pagar essas contas, resolvi tentar", afirmou um jovem atrás de Luciana na fila.

"O movimento aqui é bom porque somos a única lotérica desse pedaço do bairro", diz Jéssica Cristina dos Santos, que trabalha no local. "Mas janeiro costuma ser um mês meio morto. Esse movimento deste jeito aqui só pode ter um motivo, que são os prêmios", afirma. "Para quem nunca tinha sorteado nada de importante, nossa lotérica arrasou", brinca.

Fim do mistério dos três bilhetes premiados

Na noite de quarta-feira (3) a Caixa, responsável pelas loterias no Brasil, desfez parcialmente o mistério: os três bilhetes premiados da Lotérica Parelheiros foram registrados pelo mesmo jogador em questão de segundos, em meio a vários outros jogos. Ele estava fazendo um bolão informal com colegas do trabalho e acabou repetindo o mesmo jogo três vezes por engano. Era um homem, estava sozinho e usou o guichê preferencial, o de número 6.

De acordo com a Caixa, o ganhador já apareceu em uma agência do banco para retirar o prêmio, que está em fase de validação e deve ser liberado em poucos dias. Como possui três bilhetes premiados, ele tem direito a três cotas que, juntas, somam R$ 54.126.837,12. Segundo a Caixa, o ganhador afirmou que vai dividir a quantia com os colegas de bolão. 

"Ele nos disse que jogou um valor considerável, todo ele em apostas marcadas com seis dezenas, inclusive reutilizando volantes marcados em outros concursos", conta Gilson Braga, superintendente nacional de loterias da Caixa. "Na hora de registrar os bilhetes, acabou misturando volantes novos e antigos, alguns deles com palpites repetidos", explica. Não fosse esse engano, haveria 15 e não 17 apostas ganhadoras --cada uma, então, com um prêmio de cerca de R$ 20 milhões.

Pelas ruas do Jardim Casa Grande, parece não ser segredo quem ganhou o prêmio. Na fila da lotérica, na padaria, na calçada ou onde houvesse gente reunida, o assunto era um só: a sorte que tiveram os funcionários de um supermercado próximo à Lotérica Parelheiros, que seriam os donos dos bilhetes ganhadores. No mercado, funcionários confirmam que alguns colegas têm faltado ao trabalho e que existe a suspeita de eles terem ficado milionários, mas não se trata de uma certeza.

"Pelo que ficamos sabendo aqui, era muita gente no bolão. Tinha gente desta filial aqui e de outras duas, mais afastadas. Então talvez nem dê para mudar completamente de vida, largar o emprego e tal. Imagina: eu ouvi que eram mais de 50 pessoas, que sempre jogam juntas. Se for isso mesmo, dá R$ 1 milhão ou menos para cada um, aí não dá para largar tudo e sumir, não", diz um funcionário do mercado que pediu para não ser identificado.

Outra versão do boato que toma conta do bairro indica que os sortudos seriam em menor número --menos de dez pessoas. "Acho que a gente só vai saber se o cara que tem os bilhetes sumir e todo mundo começar a reclamar", arremata o suposto colega dos vencedores. 

O superintendente geral de loterias da Caixa afirma que deixar os comprovantes de aposta com uma única pessoa não é a melhor forma de fazer uma aposta. "Com o Bolão da Caixa, cada participante recebe um recibo de cota individual. Assim, em caso de premiação, ele tem o seu próprio recibo de cota premiado e pode retirar o prêmio de acordo com a sua conveniência", explica.

Como isso não foi feito, os três prêmios serão pagos para o homem que deu entrada no prêmio na agência da Caixa. A responsabilidade de dividir o prêmio com os colegas de bolão é só dele.

Probabilidade de vitória é menor que a da queda de avião 

De acordo com a Caixa, a chance de acertar as seis dezenas sorteadas em uma aposta é de menos de uma em 50 milhões. A chance de serem sorteados três bilhetes premiados de apostas diferentes na mesma lotérica e no mesmo concurso é próximo a zero.

É mais fácil cair um avião do que três apostadores diferentes acertarem os números da Mega da Virada na mesma lotérica. A chance, considerando apostas nas 14 mil lotéricas do país, é de uma em 670 milhões, afirmou Saulo Soares de Souza, professor de matemática e estatística da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Foi a primeira vez que três bilhetes premiados foram sorteados para a mesma casa de apostas no mesmo concurso. Antes disso, apenas uma vez havia acontecido resultado parecido. Em um concurso realizado em 2015, duas apostas ganhadoras foram feitas na mesma lotérica, em Vitória. 

A Mega da Virada 2017 pagou exatos R$ 18.042.279,04 para cada aposta que acertou os seis números do concurso 2.000 da Mega-Sena. Além de quatro apostas premiadas em São Paulo e duas em Guarulhos (SP), houve ganhadores em Carmo do Cajuru (MG), Contagem (MG), Uruçuca (BA), Prado (BA), Cruz das Almas (BA), São João do Triunfo (PR), Rio Azul (PR), Rio de Janeiro (RJ), Seropédica (RJ), Belém (PA) e Brusque (SC). 

Em Belém e Rio Azul, as apostas foram feitas em bolões Caixa, de 22 e cinco cotas, respectivamente --cada vencedor de Belém vai receber cerca de R$ 820 mil, enquanto os de Rio Azul ficarão com R$ 3,6 milhões cada.

Este também foi o concurso com o maior número de ganhadores até hoje. Até então, o recorde havia sido em um sorteio em janeiro de 2004, quando 15 apostas diferentes acertaram os números sorteados.

Historicamente, a maioria dos prêmios da Mega-Sena tem poucos acertadores. De um total de 2.000 concursos já realizados desde 1996, apenas 38 tiveram mais do que dois acertadores. Segundo os dados da Caixa, 350 tiveram apenas um ganhador e 86 tiveram dois. Em 1.526 sorteios, não houve acertadores.

Você confia nos sorteios da Caixa? Veja como é a auditoria

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos