PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Não tenho mágoa de ninguém, diz jovem preso injustamente no Rio

Leonardo do Nascimento, preso injustamente acusado de matar jovem em mercado do Rio - Reprodução/TV Globo
Leonardo do Nascimento, preso injustamente acusado de matar jovem em mercado do Rio Imagem: Reprodução/TV Globo

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

28/01/2019 12h01

O DJ Leonardo Nascimento, preso injustamente por uma semana acusado de ter matado o jovem Matheus Lessa, 22, durante um assalto a um mercado em Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro, disse em entrevista ao Fantástico deste domingo (27) que não sente mágoa das pessoas que o reconheceram equivocadamente como responsável pelo disparo que matou o estudante de psicologia no último dia 15. 

"Me pegaram na quarta. O acontecido foi na terça, então aquela mulher estava muito abalada. Poxa, perder um filho não é fácil pra ninguém. Não tenho mágoa de ninguém, só quero ficar com a minha família, com meus amigos. Foi no momento que mais precisei que eles estiveram do meu lado", disse.

O DJ contou ainda que no momento que foi preso, se manteve tranquilo e acreditava que seria liberado, o que demorou sete dias para ocorrer. "Me algemaram, me botaram dentro no carro, meus amigos todos no portão, meu pai, e eu sem poder explicar pro meu pai o que estava acontecendo. Meu pai vendo ... estão me levando ... estavam me acusando ... desde ali não consegui falar com meu pai nem dar um abraço nele ... mas ali eu estava tranquilo. Sabendo que não fui eu ... Falei: vou chegar lá fazer o procedimento e ser liberado... Quando olhei pro lado tinha um moreninho, dois branquinhos e chamaram aquelas mulheres para fazer o reconhecimento", recordou.

De acordo com a polícia, depoimentos das testemunhas mencionavam um homem branco, que teria abordado a mãe de Matheus no caixa do mercado e outro negro, responsável pelo disparo que atingiu o estudante no pescoço e no braço. Devido a semelhança física, Leonardo foi reconhecido como o bandido que teria matado Matheus. 

Leonardo foi encaminhado para o presídio de Benfica, na zona norte da cidade. Ele contou ao programa que chegou ao local como monstro devido a repercussão do caso.

Eu fui jogado em uma cela com 85 pessoas. Foram momentos horríveis pois no momento que eu cheguei lá, pela repercussão do caso, eu cheguei naquele lugar como monstro, mas eu não julgo a família daquele garoto. Só tive como suportar calado

Leonardo Nascimento, preso injustamente por uma semana no Rio

Leonardo foi preso dentro de casa por policiais da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro. Desde então, a família se esforçou para provar a inocência do DJ. O pai conseguiu imagens de câmeras de segurança do bairro que mostravam Leonardo saindo e chegando em casa no horário aproximado do crime, o que ajudou a comprovar a inocência do filho. 

"Eu me senti no dever de correr em prol da defesa do meu filho. A única coisa que eu senti era provar que meu filho estava sendo envolvido numa coisa que ele realmente não tinha culpa", explicou Jorge Benjamin.

Encontro entre as famílias

O programa Fantástico mostrou ainda o encontro entre as duas famílias na Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, que ocorreu na última sexta-feira, quando Leonardo foi limpar o crime de sua ficha de antecedentes e ser inocentado da acusação. A mãe de Matheus, Carla Rodrigues, e Leonardo se abraçaram emocionados. 

Leonardo e Carla se abraçam - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Leonardo abraça Carla Rodrigues, mãe de jovem morto em mercado
Imagem: Reprodução/TV Globo
"Eu sinto muito pela perda do seu filho, tá bom? Mas eu espero que a senhora continue firme, tá bom? A perda de um filho querido ela é muito grande, entende? E em nenhum momento eu julguei a senhora por ter me apontado de alguma forma, entendeu?", disse Leonardo à mãe de Matheus.

"Eu sempre pedi a Deus que Deus fizesse justiça, né? E Deus não é injusto, não ia deixar uma injustiça dessa ser cumprida", disse a mãe da vítima para Leonardo. 

"Vai ser uma história que vou levar pra vida toda. E vou passar pra quem puder passar, dizer que o caminho certo é poder andar de cabeça erguida", concluiu Leonardo.

Cotidiano