PUBLICIDADE
Topo

Vale é a maior interessada em esclarecer rompimento, diz diretor jurídico

Do UOL, em São Paulo

29/01/2019 14h11

Horas após a prisão de três funcionários da Vale, o diretor jurídico da empresa, Alexandre de Ambrósio, afirmou em vídeo divulgado pela empresa nas redes sociais que a mineradora é "a maior interessada no esclarecimento das causas" do rompimento da barragem de rejeitos de minérios em Brumadinho (MG), que deixou um rastro de destruição e mortes.

Ambrósio disse ainda que a empresa realiza sindicância interna para apurar os fatos. Até agora, 65 pessoas tiveram mortes confirmadas.

"A Vale é a maior interessada no esclarecimento das causas desse rompimento. A equipe jurídica iniciou ontem, já no primeiro dia útil após o acidente, a primeira fase de uma sindicância interna. Agora a pouco essa mesma equipe compartilhou espontaneamente essas informações apuradas até o momento com as autoridades policiais e do Ministério Público", afirmou sem dizer o que a sindicância apurou.

Ele disse que, desde que soube do ocorrido, na sexta-feira (25), a empresa tem colaborado integramente com as autoridades federais e estaduais. 

Os mandados de prisão temporária, expedidos pela juíza Perla Saliba Brito, da Comarca de Brumadinho da Justiça de Minas Gerais, têm validade de 30 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

Ambrósio disse ainda que, a primeira medida tomada por ele após o desastre foi entrar em contato com todos os funcionários da Vale espalhados pelo Brasil para que eles não apaguem nenhum documento, "de qualquer espécie", assim como arquivos da empresa. 

"Nos colocamos à disposição das autoridades para prestar qualquer informação desejada. Um exemplo disso: hoje durante a busca e apreensão na mina de Águas Claras, em MG, autoridade policial solicitou que a empresa permitisse a extensão da diligência a outra mina, a de Mutuca, embora o pedido nem constasse na ordem judicial, a empresa prontamente concordou", disse. 

Ontem, um dos principais advogados da Vale, Sergio Bermudes, disse em entrevista à Folha de S. Paulo que a empresa "não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade". E por isso a diretoria da empresa não se afastará de seu comando "em hipótese alguma". Logo após as declarações, a Vale divulgou nota afirmando que não autoriza o advogado a falar em nome da empresa.

Cotidiano