Topo

Adolescente é encontrada morta com corpo deformado em Santa Catarina

Brenda Rocha Carvalho sonhava com sua festa de 15 anos - Acervo Pessoal
Brenda Rocha Carvalho sonhava com sua festa de 15 anos Imagem: Acervo Pessoal

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/09/2019 16h26

Resumo da notícia

  • Brenda Carvalho foi encontrada morta em uma estrada de Passo de Torres.
  • A menina de 14 anos havia saído de casa para fazer as unhas e desapareceu.
  • Segundo a família, ela teve o corpo estrangulado e recebeu várias facadas.

Uma adolescente foi encontrada morta com diversas perfurações de faca pelo corpo, em uma plantação de eucaliptos, em uma estrada do município de Passo de Torres, a 272 quilômetros de Florianópolis (SC), no último sábado, 14. Até a tarde de hoje, ninguém foi preso.

Brenda Rocha Carvalho, de 14 anos, morava na cidade de Maracajá (SC) e saiu de casa na última sexta feira, 13, por volta das 18 horas, para fazer as unhas. A família da vítima diz ter tentado entrar em contato para que ela voltasse para a casa logo, mas não conseguiu falar com a menina. A partir deste momento, eles começaram a procurá-la pela cidade.

O desaparecimento foi registrado na delegacia por volta das 22 horas. No entanto, os familiares tiveram de aguardar completar 24 horas do sumiço para iniciar as buscas.

No dia seguinte, a família ficou sabendo que uma mulher teria sido encontrada em Passo de Torres, município vizinho, com as mesmas características da adolescente. O pai da menina foi até o IML e reconheceu o corpo.

"Foi uma brutalidade o que fizeram. A minha mãe está a base de remédio para suportar isso. O meu pai não conseguiu ver a minha irmã no caixão no estado que ela estava", conta o irmão da vítima, Allan Rocha Oliveira, de 18 anos.

"Eu cheguei perto (do caixão) e estava bem difícil. Ela foi estrangulada com um arame e tinha facadas por toda a parte, nas mãos, no rosto, e o lado esquerdo do rosto dela, eu acho que bateram com alguma coisa, porque estava muito amassado", completou o irmão que disse que uma tentativa de simular um estupro foi feito, mas a polícia descartou a hipótese.

Segundo a Polícia Civil, a adolescente teria desaparecido próximo a um ginásio de esportes da cidade, mas as imagens da câmera de segurança do local, que poderiam ajudar nas investigações, ainda não foram encontradas.

"Essa câmera está nos fundos do ginásio e pega a rua e a casa que ela deveria ir. Segundo informações que a gente teve, esse foi o último lugar que ela esteve. Então, essa câmera era de fundamental importância para a gente saber como é que se deu toda a ação", disse o delegado responsável pelo caso, Lucas da Rosa.

De acordo com o delegado, a empresa responsável pela câmera de monitoramento não soube explicar se a imagem foi apagada ou se houve um erro no sistema.

"Já me passaram um milhão de informações sobre essa câmera, então, não dá para saber o correto, o que realmente aconteceu com as imagens", diz.

O delegado disse, ainda, que hoje familiares e testemunhas começaram a ser ouvidas na delegacia. "A gente trabalha com uma linha de investigação, mas a ainda não consegue apontar suspeitos, porque está tudo muito prematuro", afirma Rosa.

Segundo a família, a adolescente era uma menina tranquila e eles não têm conhecimento de nenhuma desavença que possa ter motivado o crime.

Cotidiano