PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mulher é presa suspeita de mandar matar irmão na frente da mãe por herança

Patrícia Melo da Silva, de 41 anos, foi presa suspeita de ser a mandante do homicídio do próprio irmão - Divulgação/PC-AM
Patrícia Melo da Silva, de 41 anos, foi presa suspeita de ser a mandante do homicídio do próprio irmão Imagem: Divulgação/PC-AM

Bruna Chagas

Colaboração para o UOL, em Manaus

05/10/2019 15h43Atualizada em 05/10/2019 18h11

Patrícia Melo da Silva, de 41 anos, foi presa no início da tarde de sexta-feira (4), suspeita de ser a mandante do homicídio do próprio irmão, identificado como Antônio Ferreira da Silva Júnior, que tinha 44 anos, no município de Silves (distante 204 quilômetros em linha reta da capital).O crime aconteceu em uma estrada na rodovia AM 330 e a mãe da vítima Maria de Nazaré Melo, de 64 anos, presenciou o fato.

De acordo com o delegado João Manoel Filgueras, titular da 40ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), o assassinato aconteceu na manhã do dia 16 de agosto deste ano, no ramal do Itapiranga, em Silves. Na ocasião, Pedro Pinto, companheiro de Patrícia, acompanhado de um comparsa, ainda não identificado pela polícia, seguiu o carro que Antônio conduzia, ocupado por mais três pessoas, dentre elas, a mãe da vítima e de Patrícia. Durante perseguição, o condutor do segundo veículo bateu, propositalmente, duas vezes no automóvel de Antônio, causando o capotamento do veículo.

"Depois de causar o acidente, a dupla se dirigiu até o veículo e desferiu golpes, fatais, de faca em Antônio. Após o andamento das diligências, conseguimos efetuar a prisão de Pedro, e constatamos que Patrícia foi a principal mentora do homicídio do próprio irmão, por ele ser a única testemunha das transações irregulares que ela praticava sobre os bens do ex-companheiro dela, que havia falecido", explicou a autoridade policial.

Conforme as investigações apontaram, ao se sentir ameaçada pelo irmão, que iria denunciá-la por ficar com a herança da enteada que é órfão, Patrícia decidiu traçar o plano de execução dele, que foi colocado em prática, após a infratora obter informações de que Antônio trafegaria por aquela estrada.

"Não resta dúvidas de que o Pedro matou o cunhado, até porque ele foi reconhecido pela sogra dele e mais duas testemunhas que estavam no carro. Ele desferiu mais de 10 facadas na vítima", complementou o delegado.

A ordem judicial em nome de Patrícia foi expedida no dia 25 de setembro deste ano, pelo juiz René Gomes da Silva Júnior, da Comarca de Silves. "As investigações em torno do caso irão prosseguir até que o comparsa de Pedro seja localizado por nossa equipe", garantiu o delegado Filgueras.

Ela confessou o crime e foi conduzida ao prédio da 40ª DIP, Patrícia foi indiciada por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis, a mulher irá permanecer na carceragem da unidade policial, que funciona, também, como unidade prisional do município, à disposição da Justiça.

Preso no dia 3 de setembro de 2019, Pedro também foi indiciado por homicídio qualificado. Ele foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no quilômetro oito da rodovia federal BR-174, onde está à disposição da Justiça.

Cotidiano