Topo

Operários quebraram coluna minutos antes de queda de prédio; veja vídeo

Cristiane Bonfim

Colaboração para o UOL, em Fortaleza

18/10/2019 14h48

Resumo da notícia

  • Operários trabalhavam em pilastra do prédio no dia do desabamento
  • Obra teve início um dia antes da queda do edifício

Imagens do sistema de segurança do edifício Andrea, que desabou esta semana em Fortaleza, mostram que havia operários trabalhando com marretas nas colunas que davam sustentação à estrutura pelo menos meia hora antes do desmoronamento.

Cerca de 9h30 da manhã de terça-feira (15), aproximadamente uma hora antes de a estrutura ruir, já havia profissionais da empresa Alpha Engenharia Ltda no térreo do condomínio. Nas imagens, um homem quebra parte do reboco da pilastra e é observado por outras três pessoas.

Uma dessas pessoas é identificada por moradores como sendo o engenheiro que assinou a Autorização de Responsabilidade Técnica, José Andresson Gonzaga, da Alpha Engenharia. Os demais operários ainda não foram identificados.

Segundo o depoimento de moradores, os outros profissionais que aparecem no vídeo também são da Alpha Engenharia.

Às 10h08, em uma imagem da parte de frente do prédio, é possível ver que parte do reboco cede sozinha. Vinte minutos depois, ou seja, cerca de dois minutos antes do desabamento, a síndica do edifício Andrea, Maria das Graças Rodrigues, 53, aparece acompanhando a movimentação dos operários. Ela é considerada desaparecida.

Para leigos, rachaduras eram superficiais, diz moradora

Uma moradora do prédio confirmou ao UOL que a obra teve início no dia anterior à tragédia.

Kátia Ramos morava há 36 anos na cobertura com os pais, o marido e a filha de 19 anos. Todos estavam fora de casa no momento que a estrutura ruiu.

Segundo Kátia, que trabalha como analista contábil, os sinais de desgaste nos pilares não eram evidentes para leigos até o dia anterior ao desabamento.

A moradora declarou que outro vídeo divulgado nas redes sociais, no qual o concreto está desgastado e as estruturas de ferro das colunas estão à mostra, foi feito na noite de segunda-feira (14).

Vídeo mostra colunas deterioradas em prédio que desabou

UOL Notícias

"As colunas podiam apresentar algumas rachaduras, mas para leigos pareciam superficiais. Até o domingo as colunas não estavam assim. Foram 'descascadas' na segunda. Depois, à noite, é que foi feito o vídeo", declarou a analista contábil.

Katia também foi uma das pessoas que já depôs no inquérito aberto na delegacia do 4º Distrito Policial do Ceará, que apura as responsabilidades sobre o desabamento.

O UOL tentou contato com a empresa Alpha Engenharia, com sede em Fortaleza, contratada para realizar a obra, mas as chamadas não foram atendidas.

Há outra empresa de engenharia homônima, com sede no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza. No Facebook, A Alpha Engenharia e Consultoria Eireli divulgou nota de esclarecimento lamentando a tragédia e informando que não é a responsável pela obra.

Kátia em foto com o marido e a filha - Arquivo Pessoal
Kátia em foto com o marido e a filha
Imagem: Arquivo Pessoal

Cachorro morre após ser resgatado

Até a manhã desta sexta-feira (18), o Corpo de Bombeiros divulgou o falecimento de seis vítimas. Pelo menos quatro pessoas continuam sendo procuradas sob os escombros.

Kátia e os familiares ainda estão se reorganizando após a tragédia. O pai e a mãe dela, que têm 77 e 72 anos, respectivamente, haviam saído do prédio para ir ao banco 15 minutos antes da tragédia. A filha adolescente estava na escola e ela e o marido, trabalhando.

O animal de estimação da família de Kátia, o cachorro Luke, era o único que estava no apartamento, o único localizado no sétimo e último andar. O daschund de 10 anos foi resgatado com vida, mas faleceu na manhã desta sexta-feira (18).

Cotidiano