Topo

Prédio de 7 andares desaba em Fortaleza

Veja como foi o desabamento do prédio em Fortaleza

UOL Notícias

Aliny Gama e Daniel Herculano

Colaboração para o UOL, em Maceió e Fortaleza

15/10/2019 11h20Atualizada em 15/10/2019 19h10

Resumo da notícia

  • Prédio Andrea, de sete andares, desabou por volta das 10h30
  • Bombeiros falam em nove resgatados com vida
  • Bombeiros trabalham com a possibilidade de mais nove pessoas estarem soterradas
  • Governador Camilo Santana estava em Brasília e viajou para Fortaleza

Um prédio residencial de sete andares desabou por volta das 10h30 de hoje entre as ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. O Corpo de Bombeiros havia dito que uma pessoa morreu, mas mudou de versão no início desta noite.

O Corpo de Bombeiros disse ainda que familiares repassaram uma lista de dez pessoas que estariam desaparecidas, mas os nomes até agora não foram confirmados oficialmente. Três cães farejadores estão sendo usados para rastrear a área do desabamento.

"Temos dez reclamados, que são pessoas indicadas por familiares que supostamente estão nos escombros. Mas não temos nada confirmado, pois há informações de pessoas que podem estar viajando e não foram contatadas", disse Neto.

O edifício Andrea, que tinha 14 apartamentos, é o segundo que desaba em quatro meses na capital cearense. Em junho, um prédio residencial de quatro andares sofreu um desabamento parcial, no bairro de Maraponga.

De acordo com o coronel Cleyton Bezerra, chefe da operação dos Bombeiros, todas as equipes estão no local, além de terem sido enviadas ambulâncias e helicópteros.

Bezerra informou que ainda há risco de novos desabamentos. "O prédio pode vir ainda a colapsar...Tem bolsões [de ar] que inspiram cuidados. É uma operação que deve estender por todo o dia", afirmou.

Bombeiros trabalham no local onde o prédio desabou; na imagem, é possível ver como ficou a fachada do edifício - Kleber Gonçalves/Futura Press/Folhapress
Bombeiros trabalham no local onde o prédio desabou; na imagem, é possível ver como ficou a fachada do edifício
Imagem: Kleber Gonçalves/Futura Press/Folhapress

Dois feridos em estado grave foram socorridos pelo Samu para o IJF (Instituto Doutor José Frota), referência no estado em casos de alta complexidade. São Cleide Maria da Cruz Carvalho, 60, e Maria Antônia Peixoto, 72. O hospital disse que elas estão "em atendimento e avaliação". O estado de saúde delas não foi informado. O IJF disse continuar de prontidão para possíveis novas vítimas.

Os demais foram levados para outras unidades hospitalares do município. A Secretaria Municipal de Saúde não divulgou uma parcial do número de vítimas que deram entrada na rede hospitalar do município nem o estado de saúde delas.

Segundo o canal Globonews, a primeira vítima chegou em estado grave, inconsciente e teria sofrido traumatismo craniano. Já a segunda mulher chegou acordada e alerta, conversando com os paramédicos e está passando por exames.

Prédio seria antigo

Anteriormente, o tenente João Romário Filho disse que o prédio era um imóvel antigo. "Já era um prédio antigo, não era em construção. É difícil dizer quão antigo ele era. Não é um prédio novo, [é] residencial, de sete andares", afirmou.

Imagens mostram região do prédio que desabou; à direita, está uma loja de roupas que foi atingida pelos escombros - Google Street View
Imagens mostram região do prédio que desabou; à direita, está uma loja de roupas que foi atingida pelos escombros
Imagem: Google Street View

O prédio é cercado por estabelecimentos comerciais e fica em uma área nobre da capital cearense. "Na loja ao lado do prédio que desabou a parede foi afetada, caiu parcialmente. O cenário está isolado", explicou.

As ruas próximas ao prédio foram isoladas, mas a corporação descartou que houve vazamento de gás. "Não foi percebido cheiro de gás", apontou Bezerra.

O presidente da Academia Cearense de Engenharia, Victor Frota Pinto, afirmou que a principal suspeita para o desabamento é o rompimento de pilastras que sustentavam o edifício.

"Os escombros estão uns em cima dos outros. Ele caiu inteiramente na vertical, e isso é um indicativo de problemas de estrutura de pilastra rompendo. Isso faz com que ele caia com essa natureza", disse o engenheiro, em entrevista à rádio Verdes Mares.

Segundo Pinto, imagens feitas por moradores antes da tragédia mostram que as pilastras do prédio tinham problemas estruturais.

"As fotografias que estão surgindo mostram exatamente as pilastras com as ferragens expostas. Presume-se que foi isso" diz.

Após o desabamento do prédio, o Ministério Público do Ceará informou que uma força-tarefa formada por promotores das áreas do meio ambiente, cidadania e de políticas urbanas e fundiárias vai elaborar um levantamento da situação de outros edifícios que estejam em situação irregular, com risco à população.

"O objetivo é acionar as autoridades competentes e prevenir ocorrências dessa natureza", informou o órgão.

Vídeo mostra colunas deterioradas em prédio que desabou em Fortaleza

UOL Notícias

Governador se pronuncia

Pouco tempo após o desabamento, o governador Camilo Santana (PT) utilizou o seu perfil oficial no Facebook para lamentar o caso. Ele havia viajado a Brasília para cumprir agenda, mas decidiu retornar assim que soube do desabamento.

"Determinei o uso de toda a força operacional dos Bombeiros, Samu, Polícia Militar, Defesa Civil e todos os órgãos estaduais que possam auxiliar no socorro às vítimas. Estava chegando a Brasília para cumprir agendas quando recebi essa lamentável notícia. Cancelei toda a agenda e estou retornando imediatamente para Fortaleza para acompanhar a operação de resgate", afirmou o governador.

Cotidiano