Topo

CE: 32 homens viviam em condições desumanas em centro de reabilitação

Homem era mantido em cárcere privado em centro de tratamento para dependentes químicos no Ceará - Ministério Público do Ceará/Divulgação
Homem era mantido em cárcere privado em centro de tratamento para dependentes químicos no Ceará Imagem: Ministério Público do Ceará/Divulgação

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

22/11/2019 14h03

Promotores de Justiça do Ceará flagraram 32 homens mantidos em condições desumanas no centro terapêutico Casa de Jacó, localizado no bairro Tiradentes, em Juazeiro do Norte, na última quarta-feira (20). Seis internos estavam em situação de cárcere privado, sendo um deles algemado, e outros com sinais de espancamento. O proprietário da instituição foi preso em flagrante pelo crime de cárcere privado.

O local era para ser destinado a recuperação de dependentes químicos, mas recebia de forma irregular pessoas com problemas mentais, segundo a promotora de Justiça Alessandra Magda Ribeiro.

Os internos foram retirados com ajuda das polícias Civil e Militar, além de assistentes sociais e médico psiquiatra, que fizeram a triagem para que eles fossem encaminhados a outras instituições regulares ou para convívio com as famílias.

De acordo com o Ministério Público, o centro tinha três cômodos que se assemelhavam a uma cela, sem banheiro, e fechado com uma grade. Seis homens estavam presos, sendo um deles com os punhos algemados.

Segundo o Ministério Público, os homens relataram que estavam presos dentro do cômodo por mais de 15 dias. "A clínica alegou que o local era usado para 'meditação'", disse o promotor de Justiça Flávio Corte Pinheiro de Sousa.

Foram constados ainda que outros internos tinham marcas de uso de algemas e de espancamentos pelo corpo.

A Vigilância Sanitária interditou o local pelas precárias condições de higiene. Os cômodos tinham colchões no chão e não havia água potável para os internos beberem no imóvel.

A inspeção encontrou drogas no local e um interno estava sob efeito de entorpecente, situação constatada por exame médico. A quantidade e o tipo de drogas apreendidas não foram divulgados.

Três internos precisaram de atendimento médico e foram socorridos pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Dois foram levados para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e outro para o Hospital Regional do Cariri, onde foi submetido a cirurgia, após ser diagnosticado com pneumotórax.

Assistentes sociais da Sedest (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Trabalho) e um médico da saúde mental fizeram triagem dos internos para avaliar os que necessitavam continuar tratamentos em outras instituições e os que poderiam receber alta para serem inseridos no convívio com as famílias. O número de internos que foram transferidos para outras instituições não foi informado.

O UOL tentou localizar a defesa do suspeito, mas não conseguiu. A reportagem telefonou para o centro, na manhã de hoje, mas as ligações telefônicas não foram atendidas.

Cotidiano