PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Polícia Civil investiga posts racistas de estudante de Direito em Santos

Estudante é investigado por posts racistas em Santos (SP) - Reprodução/Instagram
Estudante é investigado por posts racistas em Santos (SP) Imagem: Reprodução/Instagram

Bruna Barbosa Pereira

Colaboração para o UOL, em Cuiabá

07/07/2020 14h44

A Polícia Civil instaurou inquérito policial para apurar denúncias de racismo após um estudante de Direito da Universidade Católica de Santos, no litoral paulista, compartilhar imagens de cunho racista.

As imagens foram expostas por uma aluna negra do mesmo curso em desabafo publicado no Instagram. Ela ainda afirmou que os conteúdos haviam sido publicados como "meme" pelo suspeito. "Isso fere a minha existência! Fere de verdade, o racismo dói. Se esse post chegar até o garoto que postou esses absurdos, saiba que você não mencionou ninguém em seus posts, mas feriu um mar de pessoas", disse.

Uma das publicações afirmava que o DNA dos negros era formado por correntes e, em outra, George Floyd aparece agradecendo "por ter morrido e virado branco". O ex-segurança morreu após Derek Chauvin, então policial de Minneapolis, nos Estados Unidos, se ajoelhar no pescoço dele durante oito minutos.

Estudante ainda não foi ouvido

De acordo com o delegado titular da Delegacia Sede de Guarujá, Marco Antônio de Couto Perez, o inquérito está em fase de instrução e pessoas envolvidas no caso estão sendo ouvidas pela polícia.

O estudante está sendo investigado pela prática do crime de racismo. No entanto, o delegado explicou que a dimensão das publicações do suspeito ainda está sendo avaliada. Ele pode responder por injúria racial.

O inquérito foi instaurado nos termos da Lei 7.716/1989, que define crime de preconceito de raça ou cor. Caso condenado, a pena pode ser de dois a cinco anos de prisão.

A polícia já entrou em contato com o estudante, mas ele deve ser o último a ser ouvido, de acordo com os protocolos da investigação.

Suspeito teria deixado faculdade

Em 24 de junho, o Centro Acadêmico Alexandre de Gusmão, que representa o curso de Direito da Universidade Católica de Santos, informou em posicionamento que o aluno responsável por compartilhar os conteúdos racistas teria pedido o cancelamento da matrícula.

"O desligamento foi efetivado nesta mesma data e, dessa forma, o estudante não compõe mais o quadro de discente da instituição", consta em trecho do informe.

Ainda conforme o Centro Acadêmico, a universidade comunicou o Ministério Público Federal para que fossem tomadas as providências cabíveis. Em posicionamento, a entidade estudantil também informou que havia formalizado a denúncia.

A Associação Atlética Acadêmica Alexandre de Gusmão, formada por alunos da faculdade de Direito da Universidade Católica de Santos, também publicou nota de repúdio contra o suspeito, informando que a reitoria da instituição já havia sido acionada.

"Estamos à disposição para ajudar no que for preciso para combater esse tipo de pensamento, atitude e ideal completamente repugnante. Esperamos, sinceramente, que a justiça seja feita e que este e tantos outros responsáveis por atos preconceituosos paguem por cada palavra e desrespeito", diz trecho da nota.

O UOL tentou falar com a Universidade Católica de Santos, mas não houve retorno, pois a instituição está em férias coletivas.

Cotidiano