PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Tempestade provoca destelhamento no hospital de Tramandaí, no litoral do RS

Parte de telhado de hospital de Tramandaí foi arrancado com força dos ventos - Divulgação/Prefeitura de Tramandaí
Parte de telhado de hospital de Tramandaí foi arrancado com força dos ventos Imagem: Divulgação/Prefeitura de Tramandaí

Franceli Stefani

Colaboração para o UOL, de São Leopoldo (RS)

18/05/2022 08h26

Parte de uma das alas do Hospital Tramandaí, no litoral Norte do Rio Grande do Sul, foi destelhada na noite desta terça-feira (17). A situação ocorreu devido aos fortes ventos que atingiram o Estado durante a passagem do ciclone subtropical Yakecan.

Nenhum paciente ficou ferido e todos foram realocados dentro da própria instituição. Os ventos atingiram 70 km/h e mobilizaram equipes médicas, de enfermagem, administração da casa e Corpo de Bombeiros, além da prefeitura da cidade.

De acordo com a administração da casa de saúde, a ala atingida é onde ficam os pacientes pré e pós-cirúrgicos.

"Nosso hospital fica numa esquina, no Centro, numa região em que sempre ocorre vento forte. Tivemos danos na área cirúrgica, onde são alocados os pacientes que recém passaram por cirurgia ou estão no aguardo do procedimento. No momento do destelhamento tínhamos 18 pacientes que foram realocados em outras áreas do hospital", frisou ao UOL o gerente administrativo Roger Vinicius Rosa Esteves, que auxiliou na ação de remoção interna.

A gestão do hospital optou por não transferir nenhum paciente da unidade de saúde.

"Durante esta quarta-feira (18) iremos nos reunir no gabinete de crise para avaliar os danos reais e definirmos como agiremos, se será necessário o translado de algum paciente ou não", pontua.

Foram feitos contatos com unidades de pronto atendimentos da região e hospitais de cidades vizinhas. "O vento foi muito forte. Por sorte, ninguém ficou lesionado, nem dentro e nem fora da casa de saúde. Não sabemos mensurar os prejuízos dos danos materiais, mas foram muitos."

Conforme o gerente, os atendimentos não serão prejudicados nesse primeiro momento. Ele explica que logo abaixo do telhado prejudicado existe uma laje, o que minimizou os danos. Em um primeiro momento, houve o destelhamento e logo os pacientes passaram a ser realocados. Quando começou a chover, por volta das 23h30min, a água infiltrou pela estrutura.

O hospital, que tem capacidade de atender cerca de 150 pacientes, teve uma ala atingida. Nela, há de 20 a 24 leitos. "Por precaução, uma parte dessa (ala), mesmo sem ter sido atingida diretamente, foi isolada. Será necessária uma avaliação para verificação dos danos e tempo de conserto".

Em nota, a prefeitura informou que a Secretaria de Obras "está de prontidão com as equipes para prestar todos os atendimentos".

Danos no Estado

Durante a noite, houve relatos de fortes rajadas de vento nas regiões de Osório, Tramandaí e Imbé, todas no Litoral Norte. Mais de 220 mil consumidores ficaram sem luz com a passagem da tempestade no Rio Grande do Sul.

O Yakecan atingiu ainda a região Sul do Estado. Segundo a Defesa Civil e a prefeitura de Rio Grande, município mais afetado da região, houve casas destelhadas, árvores caídas, postes em curto-circuito e moradores que precisaram ser acolhidos em um alojamento improvisado, já que não conseguiram retornar para casa em decorrência da tempestade.

Cotidiano