Polícia dos EUA prende suspeito por carro-bomba em Nova York

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • Alfred Giancarli/AP

    Policiais do departamento científico inspecionaram o carro do atentado fracassado na Times Square

    Policiais do departamento científico inspecionaram o carro do atentado fracassado na Times Square

*Atualizada às 8h43

Agentes federais e detetives da polícia de Nova York prenderam no início desta terça-feira (4) um cidadão paquistanês naturalizado americano, apontado como suspeito do fracassado atentado com um carro-bomba em Times Square no último sábado (1).

O homem foi identificado como Faisal Shahzad e teria comprado o carro modelo Nissan Pathfinder, de 1993, onde a polícia encontrou os artefatos explosivos. O veículo foi deixado na altura da rua 45, em uma das regiões turísticas mais movimentadas da ilha de Manhattan.

"Às 23h45 (0h45 de Brasília, terça-feira), Faisal Shahzad foi detido", afirma um comunicado da procuradoria de Nova York. "Agentes do FBI e do departamento de polícia de Nova York prenderam Shahazad por ter supostamente dirigido um carro-bomba até Times Square no fim da tarde de 1º de maio", completa a nota. Nesta terça-feira (4), o paquistanês será levado ao tribunal para esclarecer o caso.

Shahzad foi preso no aeroporto John F. Kennedy de Nova York e aparentemente estava tentando fugir do país, com destino a Dubai, nos Emirados Árabes. Ele tinha retornado aos EUA recentemente, após uma viagem de cinco meses ao Paquistão.

Em Washington, o secretário de Justiça Eric Holder anunciou a detenção e afirmou que a investigação prossegue, perseguindo várias pistas. "Mas está claro que a intenção por trás deste ato terrorista era a de matar americanos", declarou Holder.

As autoridades americanas começaram a procurar o suspeito depois que rastrearam o antigo proprietário do veículo Nissan preto, registrado anteriormente na cidade de Bridgeport (Connecticut), que tinha anunciado a caminhonete para venda em vários sites de revenda de carros. Segundo o antigo dono, o suspeito pagou o carro em dinheiro vivo e a venda foi tratada sem qualquer documentação formal, ao custo de cerca de U$ 2.000.

O artefato explosivo encontrado dentro do carro era feito com fertilizantes, fogos de artifícios, gasolina e gás propano, e foi descrito como "amador", mas segundo as autoridades, tinha o potencial de causar uma grande bola de fogo e um incidente "mortal".

Alertada por um vendedor de rua, a polícia evacuou a região da Times Square na noite de sábado e desativou o carro-bomba.

Uma força conjunta antiterrorismo, que inclui oficiais do Departamento de Justiça e do FBI, a polícia federal americana, está agora analisando as ligações telefônicas feitas pelo homem. Logo após o atentado, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, e a secretária americana de Segurança Interna, Janet Napolitano, insistiram que não havia evidências de que o atentado frustrado tenha ligação com alguma grande rede extremista, como a Al Qaeda ou o Taleban, mesmo após terroristas estrangeiros já terem reivindicado a autoria do incidente.

Investigação

Três passageiros de um voo da Emirates entre Nova York e Dubai foram obrigados a desembarcar do avião na segunda-feira à noite como parte da investigação sobre o atentado frustrado em Times Square, informou a companhia aérea de Dubai.

Em um comunicado, a Emirates destaca que as autoridades de Nova York impediram a decolagem do voo 302 (NY-Dubai) em 3 de maio e obrigou o desembarque de três passageiros.

O texto não divulga a identidade nem a nacionalidade dos três passageiros.

*Com informações das agências internacionais 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos