Colisão de trens após explosão mata dezenas de pessoas na Índia

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O governo da Índia confirmou a morte de pelo menos 65 pessoas no choque entre dois trens na manhã desta sexta-feira (28) em West Midnapore, distrito do Estado de West Bengal, a 135 quilômetros de Calcutá, região leste do país.

O número de mortos ainda é parcial e, segundo o secretário estadual de Interiores, Samar Ghosh, o total de vítimas pode subir ainda mais, já que os trabalhos de resgate ainda não terminaram e pelo menos 200 outras pessoas apresentam ferimentos entre graves e leves.

De acordo com um funcionário da empresa ferroviária que administra a via, o trem de passageiros descarrilou após passar por um trecho quebrado dos trilhos, quando viajava da cidade de Calcutá para Mumbai.

O acidente aconteceu à 1h30 desta sexta-feira pelo horário local (17h de quinta em Brasília), quando a locomotiva e outros treze vagões do trem descarrilaram.

Embora uma fonte ferroviária tenha afirmado em um primeiro momento que o descarrilamento foi precedido por uma explosão, os oficiais de ferrovias suspeitam que o acidente tenha sido causado na realidade por uma sabotagem das vias por parte da guerrilha maoísta que atua na região.

Caixa preta do avião da Air Índia é descoberta após acidente na semana passada

As autoridades locais disseram que ainda é cedo para confirmar se o acidente foi provocado ou não por uma sabotagem, mas indicaram que as suspeitas recaem sobre a guerrilha maoísta, que havia anunciado uma “semana negra” entre sexta-feira e a próxima quarta-feira em cinco Estados, incluindo West Bengal.

Resgate e ajuda financeira
Segundo relatos da mídia local, muitos passageiros ainda estão presos em alguns vagões cujo acesso pelas equipes de resgate eram dificultados pela falta de material, como serras elétricas ou marretas.

Imagens da TV mostravam vagões contorcidos, corpos sendo retirados do local e helicópteros da Força Aérea pousando perto dos trilhos para transportar os feridos para hospitais.

Enquanto as equipes de ajuda tentavam resgatar as pessoas presas nos vagões, os feridos eram transferidos para o hospital de Kharagpur, segundo fontes ferroviárias.

A ministra de Ferrovias, Mamata Banerjee, que visitou o local do acidente, anunciou uma ajuda econômica de 500 mil rúpias (cerca de US$ 10.750) para as famílias de cada um dos mortos, e uma indenização de 100 mil rúpias para os feridos.

Rebeldes
Bengala é um dos estados indianos com mais presença da guerrilha maoísta, que luta para impor no país uma revolução marxista de corte agrário e realiza constantes atentados no país.

Os rebeldes maoístas da região vêm intensificando seus ataques nos últimos meses, em resposta a uma ofensiva do governo para expulsá-los de suas bases nas selvas.

Eles já realizaram ataques a bases da polícia, a prédios do governo e a estações de trem. No início do mês, um ataque da guerrilha explodiu um ônibus no Estado de Chhattisgarh, provocando a morte de 35 pessoas.

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, descreveu as ações da guerrilha como a maior ameaça interna de segurança do país.
Por enquanto, segundo a agência indiana "Ians", nenhum grupo reivindicou a ação na linha de trens do leste indiano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos