PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Preso por assassinato há 30 anos é liberto nos EUA por problemas de saúde

Crosley Green havia sido acusado de matar Charles Flynn Jr, de 22 anos, baleado em 1989 - Reprodução/CBS News/48 hours
Crosley Green havia sido acusado de matar Charles Flynn Jr, de 22 anos, baleado em 1989 Imagem: Reprodução/CBS News/48 hours

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/04/2021 17h17

Um homem condenado por assassinato em 1990, e preso há mais de 30 anos, foi liberto da prisão, nos Estados Unidos, devido a uma decisão de um juiz federal tomada ontem. O magistrado Roy B. Dalton, do Tribunal de Middle District, da Flórida, considerou um pedido da defesa que considerava os riscos da pandemia de covid-19 e o fato do acusado estar com problemas de saúde.

Além disso, Crosley Green, de 63 anos, já havia tido sua condenação anulada em julho de 2018, segundo o Florida Today. Portanto, sua prisão estava violando a constituição há mais de dois anos.

Enquanto aguardava por sua possível soltura, o preso adoeceu na prisão, onde contraiu tuberculose, segundo o site britânico Daily Mail. Colocado em quarentena médica, seus advogados disseram ao tribunal que Crosley estava mais perto de morrer por causa de questões de saúde do que no corredor da morte.

De acordo com a CBS News, o réu teria ainda outros problemas além da tuberculose. O agravamento das questões médicas também o colocava em maior risco de contrair covid-19, alegaram seus advogados.

"Além disso, o público tem um forte interesse na libertação de um prisioneiro que o Tribunal considerou estar encarcerado em violação da Constituição", escreveu o juíz, acrescentando que Crosley "não representa perigo para a segurança pública".

Entenda melhor o caso

Em 1990, o homem negro havia sido condenado por um júri totalmente branco, sem nenhuma evidência física que ligasse ele ao assassinato de Charles Flynn Jr, de 22 anos. A vítima foi encontrada baleada pela polícia em um pomar na Flórida, em 1989.

Crosley Green, de 63 anos, foi libertado da prisão após 30 anos devido à decisão de um juiz federal - Reprodução/Clickorlando - Reprodução/Clickorlando
Crosley Green, de 63 anos, foi libertado da prisão após 30 anos devido à decisão de um juiz federal
Imagem: Reprodução/Clickorlando

O acusado alegava que esteve em uma festa na hora do assassinato. Mas a ex-namorada de Charles, que estava com a vítima na noite do crime, alegou que um homem negro havia sequestrado um caminhão e raptado os dois, antes de dirigir até o local do crime e atirar no parceiro dela.

Crosley sempre alegou inocência, mas chegou a ficar 20 anos no corredor da morte, de onde só saiu em 2008, depois que seu escritório de advocacia, Crowell e Moring, fez um apelo para a remoção da sentença de pena de morte.

Internacional