PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Americana tenta atropelar pessoas e dirige sobre túmulos no funeral do ex

Blair Rebecca Whitten, de 28 anos, foi acusada de quase atropelar duas pessoas durante funeral do ex-namorado - Fargo Police Department
Blair Rebecca Whitten, de 28 anos, foi acusada de quase atropelar duas pessoas durante funeral do ex-namorado Imagem: Fargo Police Department

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/05/2021 16h51Atualizada em 06/05/2021 16h53

A americana Blair Rebecca Whitten, de 28 anos, foi indiciada na última segunda-feira (3) por condução perigosa depois de dirigir sobre túmulos e tentar atropelar pessoas durante o funeral do ex-namorado.

Segundo testemunhas, a mulher não havia sido convidada para a cerimônia, no cemitério de Riverside, na cidade de Barnesville, nos Estados Unidos.

De acordo com a estação KVRR, Whitten, que dirigia um SUV, foi presa "por perigo agravado e imprudente" após relatos das pessoas presentes no funeral, que ocorreu no sábado (01).

"Vários reclamantes relataram que Whitten dirigia seu veículo, dentro do cemitério, de uma forma com extrema indiferença pela vida humana, o que criava risco substancial de lesões corporais graves às pessoas no cemitério", disse Jessica Schindeldecker, porta-voz da polícia local.

Segundo o Pioneer Press, a jovem alegou às autoridades que estava dentro do carro, apenas observando a cerimônia, quando familiares e amigos do ex-namorado se aproximaram do veículo.

Alegando que acreditava que as pessoas "a machucariam", ela disse que foi embora "tomando cuidado para não bater em nada".

Por outro lado, o pai do rapaz relatou que viu a mulher dirigindo o carro em alta velocidade pelo cemitério.

Outra testemunha, não identificada, confirmou que pediu que Whitten deixasse o local, mas afirmou que a americana teria acelerado o SUV em sua direção enquanto a pessoa aguardava ao lado do carro.

Segundo a mesma testemunha, a acusada não era bem-vinda ao funeral porque havia postado em redes sociais mensagens de ódio acerca da morte do ex-namorado.

Internacional