Por que o poodle virou o cão preferido dos chineses?

Javier C. Hernández*

  • Giulia Marchi/The New York Times

    Duas mulheres com um poodle aproveitam o clima ameno em uma tarde em Pequim

    Duas mulheres com um poodle aproveitam o clima ameno em uma tarde em Pequim

Nas metrópoles superlotadas do leste da Ásia, os poodles toy marrons tornaram-se o último acessório indispensável.

Eles desfilam pelas ruas da China usando suéteres, gravatas borboleta e fantasias de dinossauro. São tão populares em Tottori, no Japão, que a polícia acrescentou a suas fileiras duas poodles toy, Fuga e Karin. Na China, os bichinhos são conhecidos como "taidi", uma variação da palavra inglesa "teddy" [ursinho].

Mas por que poodles toy? E por que marrons?

Os chineses amantes de poodles dizem que a raça é inteligente, amigável e tem personalidade parecida com a dos humanos. Segundo eles, a pelagem cor de café diferencia os cãezinhos de outros poodles e facilitam esconder a sujeira das ruas.

Nas cidades obcecadas por higiene da Ásia oriental, há outra vantagem: os poodles toy são conhecidos por soltar poucos pêlos.

"Eu a considero um membro da família", disse Xu Chen, 25, uma comissária de bordo de Pequim cuja poodle, Ceicei, é limpa, carinhosa e não dá muita despesa. "Ela é linda e muito inteligente."

  • 49657
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2016/09/08/o-poodle-e-sua-raca-de-cao-preferida.js

Os cães já foram considerados um luxo burguês na China, e os grandes animais são proibidos em partes das grandes cidades. Isso provocou um boom no mercado de cães pequenos, e cada "poodle toy" custa centenas de dólares.

Dos cerca de 950 mil cachorros que havia em Pequim no ano passado, mais de 13%, ou cerca de 125 mil, eram poodles toy, segundo o Beijing Kennel Club. Eles superavam outras raças como o bichon frisé, o golden retriever e o corgi.

Shen Ruihong, que dirige o clube canino, disse que a demanda por poodles toy na China aumentou vários anos atrás, depois de uma moda no Japão. Os poodles toy começaram a aparecer em programas de televisão populares e logo "se tornaram virais", disse ele, especialmente entre as mulheres jovens, que alimentam muitas modas.

"Quanto mais pessoas os criavam, mais pessoas os queriam", disse ele. "Agora temos demais."

* Yufan Huang e Emma Du colaboraram na pesquisa

Tradutor: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos