Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/album/2013/09/20/baleia-franca-semi-albina-e-vista-no-litoral-de-santa-catarina.htm
  • totalImagens: 10
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130920172856
Fotos

Um filhote de baleia franca semialbino foi avistado pela equipe do Projeto Baleia Franca durante sobrevoo de monitoramento da espécie pelo litoral de Santa Catarina. O filhote foi o primeiro semi-albino registrado nesta temporada de 2013. Em média, um único animal com essas características é observado a cada ano no período reprodutivo da espécie na costa brasileira Divulgação/Santos Brasil Mais

O albinismo parcial incide em cerca de 1,5% das baleias francas nascidas na costa do Brasil. O filhote nasce branco com pintas pretas e, à medida que se desenvolve, a pele branca fica acinzentada. A maior parte das baleias francas semi-albinas é do sexo masculino. Assim como o albinismo verdadeiro (total), o parcial é resultado de uma modificação genética que afeta a produção de pigmentos do organismo. "A diferença é que o albinismo parcial não gera ausência total de pigmentação, por isso as baleias francas com essa característica nascem brancas com manchas pretas", resume a diretor a de Pesquisa do Projeto Baleia Franca, a bióloga Karina Groch Divulgação/Santos Brasil Mais

Foram avistadas 123 baleias francas - das quais 56 filhotes, ao longo de 280 quilômetros percorridos no litoral de Santa Catarina. Embora a quantidade de indivíduos avistados esteja dentro da média por temporada reprodutiva, uma diferença chamou a atenção dos profissionais do Projeto Baleia Franca, apoiada pela Santos Brasil, em relação aos anos anteriores: a grande quantidade de baleias concentrada nas praias do município de Laguna (SC) Divulgação/Santos Brasil Mais

De acordo com a diretor a de Pesquisa do Projeto Baleia Franca, a bióloga Karina Groch, esse aumento havia sido percebido no primeiro sobrevoo, realizado em agosto, e se confirmou neste segundo. Segundo ela, não é possível determinar uma causa específica para isso. "A ocorrência mostra a complexidade dos padrões de uso de habitat pelas baleias francas e ressalta a importância dos sobrevoos, que permitem uma análise abrangente e sistemática da distribuição da espécie nesta área, que representa a principal concentração reprodutiva das baleias francas no Brasil", afirma Divulgação/Santos Brasil Mais

O próximo monitoramento aéreo está previsto para novembro, quando a temporada de reprodução das baleias francas no litoral de Santa Catarina chega ao fim. O pico do período reprodutivo da espécie é no mês de setembro, mas a presença de um grande número de baleias nas enseadas de maior concentração deve prosseguir até a primeira quinzena de outubro, quando curiosos e turistas podem avistá-las Divulgação/Santos Brasil Mais

O sobrevoo realizado em setembro percorreu as praias de Moçambique, localizada em Florianópolis, Santa Catarina, e Torres, no litoral norte do Rio Grande do Sul Divulgação/Santos Brasil Mais

Foram avistadas 123 baleias francas - das quais 56 filhotes, ao longo de 280 quilômetros percorridos no litoral de Santa Catarina. Embora a quantidade de indivíduos avistados esteja dentro da média por temporada reprodutiva, uma diferença chamou a atenção dos profissionais do Projeto Baleia Franca, apoiada pela Santos Brasil, em relação aos anos anteriores: a grande quantidade de baleias concentrada nas praias do município de Laguna (SC) Divulgação/Santos Brasil Mais

O próximo monitoramento aéreo está previsto para novembro, quando a temporada de reprodução das baleias francas no litoral de Santa Catarina chega ao fim. O pico do período reprodutivo da espécie é no mês de setembro, mas a presença de um grande número de baleias nas enseadas de maior concentração deve prosseguir até a primeira quinzena de outubro, quando curiosos e turistas podem avistá-las Divulgação/Santos Brasil Mais

De acordo com a diretor a de Pesquisa do Projeto Baleia Franca, a bióloga Karina Groch, esse aumento havia sido percebido no primeiro sobrevoo, realizado em agosto, e se confirmou neste segundo. Segundo ela, não é possível determinar uma causa específica para isso. "A ocorrência mostra a complexidade dos padrões de uso de habitat pelas baleias francas e ressalta a importância dos sobrevoos, que permitem uma análise abrangente e sistemática da distribuição da espécie nesta área, que representa a principal concentração reprodutiva das baleias francas no Brasil", afirma Divulgação/Santos Brasil Mais

O sobrevoo realizado em setembro percorreu as praias de Moçambique, localizada em Florianópolis, Santa Catarina, e Torres, no litoral norte do Rio Grande do Sul Paulo Flores/Divulgação/Santos Brasil Mais

Baleia franca semialbina é vista no litoral de Santa Catarina

Mais álbuns de Ciência e Saúde x

Últimos álbuns de Meio Ambiente

UOL Cursos Online

Todos os cursos