Voluntários e empresários em férias estão entre vítimas de ataque em aeroporto da Flórida

Frances Robles e Christine Hauser

Em Miami

  • Julia Dwyer via AP

    Terry Andres (à dir.), 62, foi uma das cinco vítimas do atirador Esteban Santiago no aeroporto de Fort Lauderdale, na Flórida

    Terry Andres (à dir.), 62, foi uma das cinco vítimas do atirador Esteban Santiago no aeroporto de Fort Lauderdale, na Flórida

Um deles ajudava os bombeiros. Outra era voluntária em uma igreja local. Dois outros tinham negócios. Eles vinham de diferentes cidades, e a maioria estava saindo de férias.

Eles estavam entre as cinco pessoas mortas na sexta-feira (6) em um tiroteio no Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood. Esteban Santiago, 26, um veterano do Exército, foi indiciado pelos assassinatos.

O departamento médico legal do Condado de Broward não divulgou uma lista oficial dos nomes das vítimas, mas familiares e amigos postaram anúncios nas redes sociais e falaram com a imprensa. Uma das cinco vítimas permanece sem identificação.

"A pedra angular de nossa família"

Tim Woltering via REUTERS
Olga Woltering embarcaria em um cruzeiro para comemorar os 90 anos do marido

Olga Woltering, 84, costumava frequentar a missa junto com seu marido Ralph na Igreja Católica da Transfiguração em Marietta, na Geórgia. Ela trabalhava em diversos ministérios afiliados à igreja, onde ela e seu marido eram membros desde 1978.

O sacerdote de sua igreja diz que a expressão "normal" em seu rosto era um sorriso radiante.

O reverendo Fernando Molina-Restrepo, sacerdote da igreja, disse que o clima era de tristeza na missa das 17h em sua igreja, no sábado. A primeira fileira à esquerda, onde Woltering costumava se sentar, permanecia vazia.

Ele pediu que os congregantes rezassem pelas vítimas do massacre, mas que também orassem por pessoas como o homem acusado de matá-la, "pessoas que estão andando na escuridão."

"Ela era tão alegre", disse Molina-Restrepo sobre Woltering, no domingo. "Sempre que a encontrava, ela deixava você com essa sensação de alegria e paz."

Ela e seu marido foram casados por 64 anos e estavam se preparando para embarcar em um cruzeiro em comemoração pelo 90º aniversário do marido, segundo ele. Ela era conhecida como a pessoa mais sociável da igreja, que ia a todos os bailes.

Olga Woltering era originalmente de Ipswich, norte de Londres, mas ela vivia na Georgia com seu marido, que serviu na Força Aérea americana, segundo o jornal "The Independent". "Olga era tão encantadora, ela chamava a todos de 'amado' ou 'amor' com seu inconfundível sotaque britânico", disse a igreja em uma declaração.

O casal havia viajado para a Flórida para embarcar em um cruzeiro pelo Caribe, disse em uma entrevista por telefone seu filho Tim Woltering. Ralph Woltering não se feriu, segundo ele.

A família Woltering divulgou uma declaração sobre Olga Woltering, descrevendo-a como a pedra angular de sua família extensa de filhos, netos e bisnetos.

Ela "raramente parecia encontrar um estranho", dizia a declaração. "Ela na verdade tinha um sorriso ou um abraço para todos."

"Perda trágica"

Michael Oehme era um dos proprietários da Boundaryline Surveys, uma empresa de mapeamento topográfico em Omaha, Nebraska. A empresa, em uma mensagem gravada, descreveu o acontecimento como uma "perda trágica" e disse estar recebendo muitas mensagens de tristeza e preocupação desde o tiroteio da semana passada.

Oehme, 57, havia viajado para Fort Lauderdale para um cruzeiro com sua mulher, Kari, que levou um tiro no ombro mas deve se recuperar, disse à Associated Press a irmã de Oehme, Elizabeth Oehme-Miller. "Ainda não consigo acreditar", disse Oehme-Miller.

"Generoso com seu tempo"

Terry Andres, 62, de Virginia Beach, na Virginia, trabalhava no Estaleiro Naval de Norfolk em Portsmouth, disse em uma entrevista por telefone Terri Davis, porta-voz do estaleiro. Mas Andres também tinha no histórico um trabalho voluntário no serviço público.

Foi assim que Arthur Kohn, um porta-voz do Corpo de Bombeiros, descreveu as contribuições de Andres para o Departamento Voluntário de Bombeiros de Oceana, onde ele atuava como voluntário juntamente aos bombeiros de Virginia Beach como técnico de suporte. Seu trabalho envolvia tanto reconfortar quanto salvar a vida das pessoas: durante seis anos, desde 2004, Andres forneceu tanques novos de ar para os bombeiros, além de alimentos, água e até sombra em dias quentes a partir de seu veículo de apoio em locais de incêndios, disse Kohn em uma entrevista por telefone.

Durante esse tempo, Andres se destacou dos outros voluntários de uma maneira específica. "Ele dedicava muito mais tempo do que outros", disse Kohn. "Ele se punha à disposição muito prontamente. Ele era muito generoso com seu tempo. Para mim, isso torna tudo isso ainda mais trágico: esse é o tipo de gente que perdemos em atos de terrorismo."

Andres estava indo embarcar em um cruzeiro para comemorar seu aniversário, contou sua filha Ryan Kim ao "The Palm Beach Post". Ela disse que sua mãe, que não ficou ferida, estava esperando enquanto seu marido pegava um carrinho de bagagem, e ele então acenou para ela quando conseguiu um.

"Então tudo aconteceu", disse Kim. "E depois que terminou toda a confusão, eles não perceberam na hora que meu pai não estava lá."

"Criou uma família incrível"

Shirley Timmons, 70, de Senecaville, Ohio, foi por muito tempo a proprietária das Mayfair Stores, uma rede de lojas de roupas femininas, hoje fechada, em Cambridge, Ohio, segundo uma estação de rádio de Ohio. Ela e seu marido, Steve, que também foi atingido por um tiro e ficou gravemente ferido, estavam a semanas de comemorar seu 51º aniversário de casamento.

Um porta-voz da família contou à rádio que o casal estava em Fort Lauderdale para passar as férias em um cruzeiro.

"Steve e Shirley criaram uma família incrível, três filhas incríveis", disse o porta-voz. "A família era tudo para eles."

Tradutor: UOL

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos