Exclusivo para assinantes UOL

De forma injusta ou não, ataque em Londres aponta Birmingham como refúgio para radicais

Katrin Bennhold e Kimiko de Freytas Tamura

Em Birmingham (Inglaterra)

  • Eddie Keogh/Reuters

Do lado de fora do café internet Maasha' Allah, Mohammed Hussain levantou sua voz devido ao versos gravados do Alcorão tocados em alto volume na loja de abaya (vestido tradicional islâmico) duas portas rua abaixo. Ele estava furioso pelo mais recente terrorista do Reino Unido ter ampliado o estigma da cidade.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos