Exclusivo para assinantes UOL

Em caso de bebê britânico com doença terminal, posições católicas não são definitivas

Dan Bilefsky e Sewell Chan

Em Londres (Inglaterra)

  • Arquivo pessoal via AP

    Chris Gard e Connie Yates com seu filho Charlie em hospital em Londres, Reino Unido

    Chris Gard e Connie Yates com seu filho Charlie em hospital em Londres, Reino Unido

Ao se inserir no caso de um bebê britânico com lesão cerebral, doente terminal, o Vaticano chamou atenção para o cruzamento precário entre a ética e a biomedicina, uma área na qual tanto a teologia quanto a regulamentação têm tido dificuldade de acompanhar o ritmo dos avanços tecnológicos.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos