Acusação sobre filha de Temer é "mais um capítulo de perseguição", diz Marun

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), afirmou nesta quinta-feira (12) que a acusação de que a mulher do coronel João Baptista Lima Filho teria pago reforma na casa da filha do presidente Michel Temer é "mais um capítulo da novela de perseguição" ao presidente.

Segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta, a arquiteta Maria Rita Fratezi, mulher do coronel, pagou em dinheiro vivo pela reforma na casa de uma das filhas de Temer, Maristela. Quem afirmou o fato à reportagem foi o dono de uma das lojas envolvidas na obra, Piero Cosulich. A suspeita da Polícia Federal, segundo a Folha, é que o montante seja derivado de propinas da JBS, de Joesley Batista. O coronel é amigo pessoal de Temer.

Lima e a mulher foram alvos da operação Skala, deflagrada no final de março. Junto a outro amigo de longa data de Temer, o ex-assessor especial José Yunes, o coronel Lima chegou a ser preso e virou réu na Justiça.

Questionado sobre a suposta ilegalidade, Marun afirmou ser preciso "parar de ter essa visão de que o que fala o delator é absoluta verdade" e disse não saber se os pagamentos realmente foram realizados. No entanto, não foi um delator quem relatou o suposto fato, mas uma testemunha.

De acordo com o ministro, as acusações são parte de uma tentativa de se perseguir o presidente Temer e seu governo. Para ele, Temer é "o melhor presidente da história deste país" e nunca houve gestão "tão eficiente".

"Vejo muitas dessas questões como capítulos dessa perseguição. [...] Já aprendemos a navegar na tempestade. [...] Não tenho um conhecimento absoluto do que está posto até porque nos últimos dias tenho mais o que fazer do que ficar ouvindo o que diz delator. Não sei se ele [Cosulich] está dizendo a verdade. [...] Vejo isso tudo como mais um capítulo dessa novela de perseguição que se estabelece contra o melhor presidente da República", declarou.

Segundo a Folha, a Presidência informou que questionamentos sobre o caso deveriam ser feitos à defesa de Maristela Temer. Seu advogado teria dito que a cliente dará esclarecimentos somente à Polícia Federal, caso seja chamada a depor. A defesa do coronel Lima e sua mulher negado quaisquer irregularidades. Procurada pela reportagem, a secretária de Maristela afirmou que não seria possível responder a perguntas.

Temer participou nesta manhã de reunião ministerial e disse que o governo não deve se incomodar "com críticas". 

Temer pede que ministros não se incomodem com críticas

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos