PUBLICIDADE
Topo

Política

Governo seguirá fazendo parcerias com instituições religiosas, diz Damares

"O Estado é laico, mas não é laicista [sic]", defendeu a ministra durante evento no Planalto - Edu Andrade/Fatopress/Estadão Conteúdo
"O Estado é laico, mas não é laicista [sic]", defendeu a ministra durante evento no Planalto Imagem: Edu Andrade/Fatopress/Estadão Conteúdo

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

03/12/2020 18h32Atualizada em 03/12/2020 18h38

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse hoje (03) que o governo federal continuará a fazer parcerias com instituições religiosas. As falas aconteceram durante evento no Palácio do Planalto em comemoração ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e ao Dia do Voluntariado, esta última data celebrada no sábado (5).

"Nós vamos continuar fazendo parcerias, queiram vocês [ou] não da imprensa, com as instituições religiosas nesse país. O Estado é laico, mas não é laicista [sic]. Ai do Brasil se não fossem as instituições religiosas", disse Damares.

A ministra é pastora evangélica e já disse que o Estado é laico, mas "esta ministra é terrivelmente cristã".

A ministra criticou uma reportagem feita pela Folha de S.Paulo, em setembro, que apontou desvio de finalidade de R$ 7,5 milhões doados para compra de kits de exames do novo coronavírus e que foram repassados ao programa Pátria Voluntária, gerido pela primeira-dama Michelle Bolsonaro.

"Os R$ 7 milhões que vocês nos acusaram, que eu e Michelle desviamos de verba pública, era dinheiro de um doador privado. E nós usamos os R$ 7 milhões para alimentar os ribeirinhos. Ribeirinhos que foram esquecidos por anos nesta nação", rebateu.

A primeira-dama, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ministros do governo participaram do evento no Planalto.

"A gente vai enfrentar toda a oposição no Brasil. E mais um recado para a imprensa. O estado é laico, mas não é laicista [sic], e a maior crítica que fizeram ao Pátria Voluntária, a mim e a [primeira-dama] Michelle e a todos os conselheiros, é que nós usamos, aproveitamos toda a logística de instituições religiosas. As instituições religiosas que estão há anos cuidando de nossos povos", afirmou Damares.

Política