PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Com Michelle, Flávio e Renan, Bolsonaro enterra mãe em Eldorado (SP)

Leonardo Martins

Do UOL, em Eldorado (SP)

21/01/2022 18h15

O presidente Jair Bolsonaro (PL-RJ) velou e enterrou sua mãe, Olinda Bonturi Bolsonaro, 94, na cidade de Eldorado, no interior de São Paulo, distante cerca de 242 km da capital paulista.

Olinda Bolsonaro morreu na madrugada de hoje. Ela estava internada no hospital São João, na cidade de Registro, a 50 km de Eldorado. A causa da morte não foi divulgada.

Bolsonaro estava em viagem oficial no Suriname quando soube da morte de sua mãe. O presidente retornou ao Brasil e chegou à cidade de Eldorado às 15h, de helicóptero, acompanhado de sua comitiva, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e dois de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e Renan Bolsonaro. Seu irmão, Renato Antônio Bolsonaro, também esteve presente.

Autoridades prepararam a cidade para a chegada do presidente. Dezenas de policiais rodoviários federais e policiais militares bloquearam a rua de acesso ao Salão Paroquial de Eldorado, onde Olinda Bolsonaro foi velada, e isolaram a calçada de entrada. Outros seguranças também bloquearam o local.

A imprensa acompanhou o velório na praça em frente ao salão. Bolsonaro chegou com a comitiva presidencial e familiares em carros pretos às 15h20. Lá, houve uma cerimônia religiosa com músicas.

O caixão saiu do local sendo carregado por familiares. Bolsonaro, emocionado, acompanhou o momento de braços dados com Michelle Bolsonaro.

Bolsonaro e os participantes da cerimônia seguiram em caminhada de 1 km do local do velório até o cemitério central da cidade embaixo de forte sol. Em todo trajeto, ele seguiu de braços dados com a primeira-dama.

Dezenas de moradores também acompanharam o momento do velório e chegaram a entrar no cemitério para presenciar o enterro. Durante o trajeto, algumas pessoas gritaram "meus sentimentos, Bolsonaro". Uniformizados de branco, membros da Marinha do Brasil também acompanharam o momento.

No cemitério, duas tendas cobriam a campa da família de Bolsonaro para proteger os convidados do sol. O presidente ajudou a carregar o caixão de sua mãe até a campa e acompanhou o enterro em silêncio, ao lado da primeira-dama e Flávio Bolsonaro. Jair Bolsonaro e seus filhos não falaram com a imprensa após a cerimônia.

Anúncio

Olinda Bolsonaro estava internada desde a última segunda-feira (17). A morte foi confirmada pelo próprio presidente em uma publicação nas redes sociais. "Com pesar o passamento da minha querida mãe. Que Deus a acolha em sua infinita bondade", escreveu.

Antes do retorno ao Brasil, Bolsonaro cumpriu agenda oficial no Suriname. Ele esteve ontem na capital, Paramaribo, onde participou de reuniões junto a autoridades locais com foco em cooperação econômica. Foi a primeira viagem internacional do presidente brasileiro em 2022.

Em agosto do ano passado, quando Bolsonaro fez uma visita à mãe, o presidente disse que Dona Olinda estava doente.

"Minha mãe está com 94 anos, por assim dizer, ela não me reconhece mais. Teve um problema grave de sangramento nos últimos dias e eu resolvi visitá-la porque pode ser né, que seja a última vez. É a vida, é o nosso destino e quem tem mãe sabe que, quem tem mãe viva com essa idade, sabe dos problemas e do que nós devemos a ela", disse na época.

Quem era a mãe de Bolsonaro?

Olinda teve sete filhos com o dentista Percy Geraldo Bolsonaro, que faleceu em 1995. O presidente é o terceiro filho do casal.

Descendente de italianos, ela fazia parte de uma família de imigrantes. A mãe de Bolsonaro era dona de casa e morou na zona rural a maior parte de sua vida.

Em entrevista à revista Crescer em 2015, Olinda contou que, quando o presidente e os irmãos nasceram, a família morava em Campinas. Mas o pai decidiu pela mudança para o Vale do Ribeira, uma região com poucos dentistas. O destino escolhido foi a cidade de Eldorado, onde o presidente foi criado.

Política