OMS e ONU não têm recursos para lidar com o avanço do vírus zika

Em Genebra

  • Ueslei Marcelino/Reuters

    Soldado brasileiro no combate ao Aedes aegypti remove água parada em terreno abandonado em Brasília

    Soldado brasileiro no combate ao Aedes aegypti remove água parada em terreno abandonado em Brasília

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas (ONU) não têm dinheiro para implementar o plano que desenharam para frear o vírus zika. Dados divulgados nesta segunda-feira, 30, pelas entidades apontam que as organizações que deveriam se mobilizar contra a nova doença não contam com os recursos exigidos. De um total de US$ 53,3 milhões solicitados para enfrentar o vírus, foram levantados pouco mais de 10% do valor, cerca de US$ 5,7 milhões.

Declarada como uma emergência internacional de saúde pública, o zika obrigou a OMS a se mobilizar para tentar conter a doença, já espalhada por 60 países. Cientistas e até atletas já alertam sobre os riscos dos Jogos Olímpicos do Rio. Ainda que a OMS insista que não existe chance de um adiamento do evento, a realidade é que seu programa de ação está sendo seriamente afetado por falta de dinheiro.

A entidade pediu doações e contribuições de governos no valor de US$ 17,7 milhões, mas recebeu apenas US$ 2,3 milhões até agora.

A Organização Pan-americana de Saúde (Opas) havia feito um apelo por US$ 8,1 milhões. Mas recebeu apenas US$ 1,6 milhão para suas ações na região mais afetada pela crise. Outro parceiro da ONU, a AmeriCares, solicitou US$ 4,1 milhões - recebeu apenas US$ 40 mil.

Diversas entidades sofrem com o mesmo problema. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês) solicitou US$ 9,6 milhões e foi praticamente ignorado. Apenas US$ 250 mil entraram no caixa.

Mesmo no Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef, na sigla em inglês), o pedido de US$ 13,8 milhões foi atendido em somente US$ 1,7 milhão, deixando um buraco de US$ 12 milhões.

Segundo a OMS, um novo plano será lançado em julho para lidar com o que a entidade chama de "proliferação" cada vez maior da doença. Para a agência, o zika vai continuar ganhando novos territórios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos