Governo já negocia importação de vacina contra a febre amarela

Brasília - O Ministério da Saúde está negociando a importação de vacina contra febre amarela. Diante do pedido de reforço de doses por São Paulo e Rio, a pasta iniciou tratativas com produtores internacionais sobre preços, doses disponíveis e cronograma para entrega. "Não há uma compra fechada. Estamos fazendo pesquisas", disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Ele admitiu, no entanto, que o cenário atual é bem distinto do apresentado há dois meses, quando as suspeitas estavam restritas a Minas e Espírito Santo.

O reforço nos estoques começou há duas semanas, quando o governo solicitou ao Grupo de Coordenação Internacional (GCI) - organismo que reúne Cruz Vermelha, Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Unicef e Médicos sem Fronteiras - 3,5 milhões de doses do imunizante. Houve ainda a decisão de se suspender a exportação de vacinas.

O socorro do GCI representará um custo a mais para o governo. A vacina deverá ser vendida e o preço padrão é de US$ 1,3 por dose. Se esse preço for mantido, significará 40% a mais do que o da vacina brasileira, R$ 3,03 (conforme preços do fim do ano).

Espírito Santo

Subiu para 37 o número de pessoas mortas por febre amarela no Espírito Santo. A última vítima é um homem de 65 anos, morador da zona rural de Cariacica, na Grande Vitória. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Lígia Formenti e Vinícius Rangel, especial para O Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos