Zika pode permanecer no sêmen mesmo após sintomas sumirem, dizem médicos

Julie Steenhuysen

Em Chicago

O vírus da zika foi encontrado no sêmen de um britânico dois meses depois de ele ter sido infectado, o que indica que o vírus pode permanecer presente mesmo após passarem os sintomas da infecção, disseram autoridades de saúde britânicas nesta sexta-feira (12).

Pesquisadores do serviço público de saúde do Reino Unido afirmaram que o homem de 68 anos foi infectado em 2014, na Polinésia Francesa.

O homem passou por exames enquanto ainda tinha febre, e baixos níveis do zika foram detectados em amostras de sangue.

Testes com o sêmen feitos depois mostraram resultado positivo 27 dias e 62 dias após ele ter começado a apresentar os sintomas da zika.

Os resultados das análises do caso foram divulgados em uma carta publicada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos