Você se sente culpado por não usar o fio dental? Talvez não seja preciso

Catherine Saint Louis

  • AP Photo/Julio Cortez

    Wayne Aldredge, presidente da Academia Americana de Periodontologia, segura fio dental

    Wayne Aldredge, presidente da Academia Americana de Periodontologia, segura fio dental

Por décadas, o governo dos EUA, sem contar seu dentista, insistiu que o uso diário de fio dental era necessário para prevenir cáries e problemas na gengiva que poderiam resultar em perda dos dentes.

Na verdade, talvez o uso de fio de dental pode ser desnecessário.

As mais recentes diretrizes para os americanos, emitidas pelos departamentos de Agricultura e de Saúde e Serviços Humanos, eliminaram discretamente e sem aviso qualquer menção ao uso do fio dental. Nesta semana, a agência de notícias Associated Press relatou que as autoridades nunca pesquisaram a eficácia do uso regular de fio dental, como exigido, antes de persuadir os americanos a usá-lo.

Em uma declaração, a Academia Americana de Periodontologia reconheceu que a maioria das evidências atuais deixa a desejar, porque os pesquisadores não conseguiram incluir participantes suficientes ou "examinar a saúde das gengivas por um período significativo de tempo".

A revelação causou agitação entre cidadãos tomados pela culpa, que se esforçam para usar diariamente o fio dental, mas ficam aquém dessa meta elevada. Entre os especialistas, entretanto, é uma espécie de segredo aberto que não está comprovado que o uso diário do fio dental impede cáries ou problemas periodontais severos.

Uma revisão de 12 estudos randomizados controlados publicada pela "The Cochrane Database of Systematic Reviews", em 2011, encontrou apenas evidência "pouco confiável" de que o uso de fio dental pode reduzir formação de placa após um e três meses. Os pesquisadores não conseguiram encontrar nenhum estudo sobre a eficácia do uso do fio dental somado à escovação na prevenção de cáries.

"É surpreendente termos dois hábitos, o uso do fio dental e escovação sem flúor, amplamente creditados por prevenir cáries e perda dos dentes, mas não contarmos com testes clínicos que comprovem sua eficácia", disse o dr. Philippe Hujoel, um professor de ciências de saúde oral da Universidade de Washington, em Seattle.

O site da Associação Odontológica Americana diz que o uso do fio dental "é uma parte essencial dos cuidados com seus dentes e gengivas". No ano passado, o dr. Edmond R. Hewlett, um porta-voz do grupo e professor de odontologia restauradora da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, disse: "Estamos confiantes de que perturbar a ação das bactérias na placa, por meio da escovação e uso de fio dental, é de fato benéfica".

Na verdade, isso é apenas parcialmente comprovado. Escovação com flúor impede o surgimento de cárie. O uso do fio dental resultar no mesmo benefício é um palpite que nunca foi comprovado.

Se serve como consolo, há evidências medíocres de que o uso de fio dental reduz sangramentos na gengiva e uma inflamação desta conhecida como gengivite.

A revisão da Cochrane apontou que pessoas que regularmente escovam os dentes e usam fio dental apresentam menos sangramento do que as pessoas que apenas escovam, apesar dos autores terem alertado que a qualidade da evidência é "muito baixa".

Dentista especializado em estética surge como nova profissão

  •  

Uma gengivite demora para se transformar em uma doença periodontal severa, mas alguns dentistas argumentam que apesar da falta de estudos rigorosos, o uso de fio dental importa, já que pode reverter problemas iniciais na gengiva.

"A inflamação da gengiva progride em periodontite, que resulta em perda óssea, de forma que a lógica é que se pudermos reduzir a gengivite, reduziremos o avanço até a perda óssea", disse o dr. Sebastian G. Ciancio, presidente do departamento de periodontologia da Universidade de Buffalo.

Uma periodontite severa pode levar de cinco a 20 anos para se desenvolver.

"É um mal insidioso, lento, que destrói o osso", disse o dr. Wayne Aldredge, presidente da Academia Americana de Periodontologia, que pratica em Holmdel, Nova Jersey.

Mesmo sem evidência rigorosa de que o uso de fio dental previne periodontites severas, Aldredge insiste para que seus pacientes não deixem de usar o fio dental. Aqueles que abandonarem a prática estão se arriscando, ele disse.

"Você não sabe se desenvolverá periodontite e pode descobri-la tarde demais", ele disse.

Talvez a evidência de que o uso de fio dental reduza cáries nos dentes ou problemas nas gengivas não se sustente por não usarmos o fio dental corretamente. Pessoas que o fazem corretamente, como a higienista dental no consultório de seu dentista, buscam "abraçar o dente" e descer até abaixo da linha da gengiva, disse Hujoel.

Mas nós, pessoas comuns, olhando com tristeza para o espelho de nossos banheiros, tendemos a dar apenas uma passada leve.

Uma revisão de seis ensaios clínicos apontou que quando profissionais passaram fio dental em crianças nos dias de aula por quase dois anos, elas apresentaram uma redução de 40% no risco de cáries.

Logo, talvez o uso correto do fio dental seja eficaz. Mas os cientistas teriam dificuldade para encontrar pessoas suficientes para testar essa teoria.

Tradutor: George El Khouri Andolfato

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos