PUBLICIDADE
Topo

Deslizamento de terra deixa desaparecidos na Suíça

Em Genebra

24/08/2017 08h49

Oito pessoas, incluindo alemães, austríacos e suíços, estão desaparecidas ao sudeste dos Alpes suíços após um deslizamento de terra na quarta-feira (23), segundo a polícia.

Na região do Vale de Bondasca, "oito pessoas que estavam no local no momento do deslizamento não foram encontradas", disse a polícia do cantão de Grison.

As autoridades acreditam que alguns desaparecidos praticavam montanhismo na hora do acidente.

A polícia recebeu alertas de parentes de seis das oito pessoas desaparecidas. As buscas se intensificaram durante a noite.

De acordo com o jornal suíço "Blick", que cita um porta-voz da polícia, os telefones celulares nem sempre funcionam na região.

"Esperamos que este seja o motivo, pelo qual não conseguimos entrar em contato com os desaparecidos", disse o porta-voz da polícia, Markus Walser.

"Os especialistas em resgates estão sobrevoando a região para localizar os alpinistas", completou.

As autoridades estabeleceram uma zona de exclusão aérea em um raio de cinco quilômetros para facilitar o trabalho das forças de resgate.

Em um primeiro momento, a polícia anunciou que o acidente não havia deixado feridos.

O deslizamento de terra aconteceu na manhã de quarta-feira na localidade de Bondo, no cantão de Grison, perto da fronteira com a Itália.

A polícia ordenou a saída de 100 pessoas da localidade por temer novos acidentes. Alguns moradores foram retirados da região com a ajuda de helicópteros. A medida também afetou dois abrigos nos Alpes.

Vários habitantes encontraram abrigo em hotéis da região, sobretudo, na localidade de Castasegna, na fronteira com a Itália.

Doze edifícios foram afetados, segundo a polícia. A principal estrada do vale sul de Grison, que liga Stampa a Castasegna, foi fechada ao trânsito.

Os moradores não poderão retornar para suas casas até nova ordem. Durante a tarde, as autoridades devem reavaliar a situação.

A região registrou um grande deslizamento de terra em 2012, com quase quatro milhões de metros cúbicos de rochas, o equivalente a 4.000 casas. As pedras caíram em um vale sem habitantes.

Após o incidente, o governo instalou um sistema de alarme automático, acionado sem problemas na quarta-feira.

O último deslizamento de terra com vítimas fatais na Suíça aconteceu em novembro de 2014, quando duas pessoas morreram, e quatro ficaram feridas no desabamento de um prédio em Davesco-Soragno, no cantão de Ticino.

Em outubro de 2000, 12 pessoas morreram e quatro ficaram desaparecidas em inundações de deslizamentos de terra na região suíça de Valais.