Desemprego continua caindo no Brasil graças ao sector informal

Rio de Janeiro, 31 Out 2017 (AFP) - O índice de desemprego no Brasil prosseguiu caindo no terceiro trimestre de 2017, quando ficou situado em 12,4%, seis décimos a menos que no segundo trimestre (13%), informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O retrocesso foi de dois décimos em relação a agosto (12,6%), em sintonia com a expectativa média de 25 instituições consultadas pelo jornal Valor Econômico.

É a sexta queda mensal consecutiva, sempre sob o impulso principal do crescimento informal, dentro de uma tímida saída de dois anos de recessão da maior economia latino-americana.

No período julho-setembro do ano passado, o desemprego atingia 11,8% da população ativa.

O índice de desemprego alcançou seu recorde no primeiro trimestre deste ano, quando chegou a 13,7%, mas desde então marca quedas regulares.

No terceiro trimestre de 2017, havia no Brasil 13 milhões de desempregados, 524.000 a menos que no segundo trimestre, mas 939.000 desempregados a mais que no mesmo período de 2016.

O setor informal continuou sendo o motor da recuperação do mercado trabalhista.

Na comparação trimestral, o contingente de pessoas com contrato de trabalho se manteve estável, em 33,3 milhões de pessoas.

A categoria de empregados sem contrato formal no setor privado registrou, por sua vez, um aumento de 2,7%, totalizando 10,9 milhões de pessoas.

Os analistas acreditam que o mercado trabalhista deve melhorar no último trimestre graças às contratações temporárias de fim de ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos