Monumento do Holocausto é construído em frente à casa de líder da extrema direita

Berlim, 22 Nov 2017 (AFP) - Um grupo de artistas afirmou, nesta quarta-feira, ter construído uma réplica do Memorial do Holocausto, de Berlim, na frente da casa de um líder de extrema direita alemã, a fim de denunciar declarações polêmicas do político.

Björn Höcke, que pertence à ala mais radical do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), provocou um escândalo em janeiro passado ao qualificar o monumento berlinense de "memorial da vergonha".

Além disso, criticou a política de arrependimento da Alemanha em relação aos crimes do nazismo.

"Terá que apreciar esta vista todas as manhãs quando olhar pela janela, já que, como aprendiz do Führer, considera o Memorial do Holocausto um monumento da vergonha", disse Philipp Ruch, encarregado do grupo Centro pela Beleza Política, autor da iniciativa.

Esta organização instalou, ao amanhecer, as 24 lápides de concreto sob as janelas de Höcke e no terreno da casa vizinha, que ele alugou há 10 meses, em Bornhagen, no estado de Turíngia.

Também fez uma arrecadação de fundos no valor de 28.000 euros a fim de manter o monumento durante dois anos, uma cifra que alcançou rapidamente.

As declarações de Höcke em janeiro foram fortemente criticadas na Alemanha e puseram em evidência as divisões dentro do AfD.

Alguns dirigentes de seu próprio partido quiseram afastá-lo, mas finalmente os mais radicais se impuseram, levando o AfD a um êxito eleitoral sem precedentes na Alemanha para uma formação de extrema direita, com cerca de 13% dos votos nas eleições legislativas de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos