PUBLICIDADE
Topo

Museu americano tenta salvar 'loja nº 1' do McDonald's nos EUA

24/11/2017 15h05

Chicago, 24 Nov 2017 (AFP) - Era apenas uma loja fechada há anos para visitantes, sem chamar quase nenhuma atenção. Mas, quando o McDonald's anunciou que iria demolir sua primeira lanchonete, uma pequena comunidade americana disparou em defesa da estrutura.

Construída num subúrbio de Chicago, a "loja nº 1" é, na verdade, uma réplica da original.

Uma outra instituição que celebra um elemento típico do cultura americana, os automóveis, é a responsável por essa tentativa de resgate.

O Volo Auto Museum, museu automobilístico na fronteira de Winsconsin e Illinois, pediu para a cadeia de "fast food" lhe doar a réplica.

O diretor do museu, Brian Grams, disse à AFP nesta sexta-feira que ainda não recebeu uma resposta do McDonald's.

"Com o feriado, eu já esperava um atraso. Estou com os dedos cruzados para ouvir alguma coisa no começo da semana que vem", disse ele, por e-mail.

A empresa anunciou na terça-feira que vai demolir a cápsula do tempo para o passado dos Estados Unidos porque enchentes frequentes bloquearam suas portas e é impossível reabri-las.

O museu quer pegar a estrutura da localização atual e levá-la a cerca de 50 km a noroeste, para Volo, uma pequena cidade de 4.300 habitantes.

Ela ficaria exposta com 400 automóveis "clássicos, antigos e de Hollywood".

"Nosso interesse é preservar esse ícone americano", explicou Grams, mostrando uma pesquisa digital em que 97% dos que responderam apoiam a ideia.

"Se, por algum motivo, não der certo a transferência da estrutura inteira, certamente esperamos conseguir alguns itens".

A réplica de 1985 foi construída no local do primeiro restaurante da franquia McDonald's, erguido em 1955. Ela é repleta de memorabilia, e tem uma placa original do lado de fora anunciando hambúrgueres por 15 centavos.

O fundador da empresa, Ray Kroc, criou as franquias modernas do McDonald's, depois de comprar a marca de Richard e Maurice McDonald.