Estrangeiros presos no Camboja por 'danças pornográficas' negam crime

Em Phnom Penh

  • Polícia Nacional do Camboja/AP

    28.jan.2018 - Fotos divulgadas pela polícia do Camboja mostra as supostas "danças pornográficas" que teriam motivado a prisão de 10 estrangeiros na cidade de Siem Reap

    28.jan.2018 - Fotos divulgadas pela polícia do Camboja mostra as supostas "danças pornográficas" que teriam motivado a prisão de 10 estrangeiros na cidade de Siem Reap

Os dez estrangeiros detidos na quinta-feira na cidade cambojana de Siem Reap por "músicas e danças pornográficas" admitiram que participaram de uma festa usando roupas íntimas, mas negaram as acusações de pornografia, indicou nesta terça-feira seu advogado.

Os estrangeiros, cinco britânicos, dois canadenses, um norueguês,um neozelandês e um holandês, foram detidos em uma casa nesta cidade, próxima ao templo Angkor.

Eles podem receber pena de um ano de prisão caso sejam condenados por pornografia.

Com idades entre 19 e 31 anos, admitiram ter usado "roupas sexy", mas rejeitaram as acusações atribuídas a eles, segundo o advogado.

"Eles não mostraram imagens pornográficas, nem mostraram seus órgãos genitais", disse.

As autoridades cambojanas desejam moralizar o comportamento dos turistas perto dos templos de Angkor.

O complexo de Angkor, maravilha da arquitetura khmer do século XII, tem mais de 100 templos e representa o principal destino turístico deste país do sudeste asiático.

Em janeiro de 2015, duas irmãs americanas e três turistas franceses foram expulsos do Camboja depois que tiraram fotos nus em um dos templos de Angkor. Foram condenados a seis meses de prisão com suspensão condicional da pena e proibidos de visitar o país por quatro anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos