Especialistas em armas químicas vão exumar corpos em investigação na Síria

Haia

  • Syrian Civil Defense White Helmets/AP

    Crianças recebem oxigênio após suposto ataque químico em Douma, em 8 de abril de 2018

    Crianças recebem oxigênio após suposto ataque químico em Douma, em 8 de abril de 2018

 Especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas presentes em Duma, perto de Damasco, para investigar um suposto ataque químico, procederão à exumação dos corpos de algumas vítimas - informou o diretor-geral da OPAQ, Ahmet  Uzumcu, nesta quinta-feira (3), em entrevista ao "Financial Times".

A missão de investigação da OPAQ coletou mais de 100 "amostras ambientais" em Duma desde a primeira visita ao local, em 21 de abril, indicou Uzumcu.

Os investigadores agora vão examinar "maneiras de exumar e coletar amostras biomédicas", disse ele.

O suposto ataque químico com gases tóxicos teria deixado pelo menos 40 mortos em Duma em 7 de abril, segundo socorristas.

Atribuído às forças do governo sírio pelos ocidentais, o suposto ataque químico provocou como resposta bombardeios de Washington, Paris e Londres contra instalações do regime e um aumento da tensão diplomática.

"Esta será a primeira vez que exumaremos corpos", afirmou do diretor-geral, acrescentando que um relatório sobre a investigação não será divulgado antes de um mês.

A missão "continua a explorar todos os caminhos possíveis para coletar provas", afirmou uma porta-voz da OPAQ nesta quinta-feira à AFP.

A Rússia tem sido acusada pelos ocidentais de obstruir o acesso dos inspetores da OPAQ à Duma, acusações que Moscou rejeitou veementemente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos