Assessora da Casa Branca diz ignorar oposição de senador com câncer: "ele está morrendo"

Em Washington

  • AFP PHOTO / SAUL LOEB

    O senador John McCain enfrentou Barack Obama na primeira eleição do democrata à Casa Branca; hoje, opositor de Trump, ele luta contra um câncer

    O senador John McCain enfrentou Barack Obama na primeira eleição do democrata à Casa Branca; hoje, opositor de Trump, ele luta contra um câncer

Uma assessora da Casa Branca afirmou que a oposição do senador John McCain, de 81 anos e que luta contra o câncer, à nomeação da nova diretora da CIA não importa "porque ele está morrendo", informou a imprensa americana.

"Não importa, ele está morrendo de qualquer maneira", afirmou a assessora de comunicação Kelly Sadler em uma reunião na quinta-feira, de acordo com a CNN e outros veículos de comunicação.

A indicada de Donald Trump para dirigir a CIA, Gina Haspel, tem um passado polêmico e está vinculada à prática da tortura. Durante sua audiência no Senado, ela se negou a considerar a tortura uma prática moralmente condenável.

Por este motivo, o senador McCain, que passou vários anos preso durante a guerra do Vietnã e foi torturado, pediu em um comunicado que os senadores rejeitem a nomeação.

A Casa Branca não negou as palavras de Kelly Sadler.

"Nós respeitamos o serviço do senador McCain a nossa nação e ele e sua família estão em nossas orações neste momento difícil", afirma um comunicado.

A esposa de McCain, Cindy, respondeu em um tuíte direcionado a Sadler: "Posso lembrar a você que meu marido tem uma família, sete filhos e cinco netos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos