PUBLICIDADE
Topo

UE defende seu ritmo na aprovação de uma vacina contra a covid

02/12/2020 13h24

Bruxelas, 2 dez 2020 (AFP) - A União Europeia justificou, nesta quarta-feira (2), sua lenta marcha rumo à autorização de uma vacina contra a covid-19, após o sinal verde das autoridades britânicas para a produzida pela Pfizer/BioNTech.

"O importante não é ser o primeiro [na aprovação], mas ter uma vacina que seja segura e eficaz", disse o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, durante uma videoconferência com seus colegas da UE.

Mais cedo, o governo britânico autorizou a vacina Pfizer/BioNTech, enquanto os países da UE ainda aguardam uma decisão da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

A agência tinha sede em Londres até o ano passado, mas foi transferida para Amsterdã, na Holanda, como parte do processo de divórcio do Brexit.

Agora, enquanto os países da UE aguardam a autorização de uma vacina pela EMA, a Hungria já começou a receber doses da vacina russa Sputnik, em uma decisão que levantou preocupação em Bruxelas.

Na videoconferência desta quarta-feira, Spahn anunciou que haveria uma reunião com a EMA em 11 de dezembro para avaliar o progresso antes de tomar uma decisão sobre qual das vacinas concorrentes será licenciada.

"É uma questão de experiência, obviamente, e de autorização. Mas, como vimos pelos comentários do Reino Unido, é também uma questão política para a UE", disse ele.

A Comissária Europeia da Saúde, Stella Kyriakides, destacou, por sua vez, a importância de explicar claramente os procedimentos à população, para que confiem nas vacinas. A EMA informou que poderá emitir uma autorização no final de dezembro.

jug-ahg/mb/mr

PFIZER

BioNTech