PUBLICIDADE
Topo

EUA processará líbio por atentado contra PanAm em Lockerbie em 1988

21/12/2020 14h03

Washington, 21 dez 2020 (AFP) - A Justiça dos Estados Unidos anunciou, nesta segunda-feira (21), a acusação de Abu Agila Mohammad Massoud, um ex-agente do serviço secreto líbio suspeito de participar do ataque a Lockerbie em dezembro de 1988, na Escócia, no 32º aniversário da tragédia.

Massoud é acusado de ter fabricado a bomba que explodiu a bordo de um Boeing 747 da companhia aérea americana Pan Am, quando sobrevoou a pequena cidade escocesa em 21 de dezembro de 1988.

O ataque matou 259 passageiros e tripulantes do avião, incluindo 190 cidadãos americanos. Onze residentes de Lockerbie morreram, devido ao impacto dos restos do dispositivo.

"Por fim, este homem responsável pelo assassinato do americano e de muitos outros vai responder por seus crimes na Justiça", declarou o procurador-geral dos EUA, Bill Barr.

O chefe do Departamento de Justiça se mostrou otimista sobe uma extradição do acusado aos EUA, atualmente detido pelas autoridades da Líbia.

"Não temos motivos para pensar que esse governo tem interesse em se associar com este ato terrorista de ódio", disse.

Em 1991, as Justiças americana e escocesa anunciaram a acusação de dois agentes da inteligência líbia, Abdelbaset Ali Mohamed Al-Megrahi e Amine Khalifa Fhimah, por sua participação no atentado.

Barr era procurador-geral interino na época e anunciou ações judiciais contra os acusados.

Os dois acusados líbios foram julgados no ano 2000 por um tribunal especial escocês criado em um território neutro, nos Países Baixos. Um ano depois, Fhimah foi absolvido e Megrahi condenado à prisão perpétua por assassinato, antes que sua pena fosse reduzida para um mínimo de 27 anos de prisão.

Megrahi foi libertado em 2009 por motivos de saúde e morreu três anos depois em seu país.

cyj/seb/gma/lda/tt/aa