PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Quem são os canadenses libertados pela China

25/09/2021 11h57

Pequim, 25 Set 2021 (AFP) - Os canadenses Michael Spavor, especialista em Coreia do Norte, e Michael Kovrig, ex-diplomata acusado de espionagem, foram libertados e voltaram ao seu país de origem neste sábado (25), encerrando uma amarga disputa de três anos com a China.

Ao mesmo tempo, a diretora financeira da gigante chinesa de telecomunicações Huawei, Meng Wanzhou, também retornou ao país asiático após uma crise sem precedentes que ficou conhecida como "diplomacia de reféns".

- Michael Spavor -Ele se encontrou com Kim Jong Un e organizou visitas a Pyongyang para o ex-jogador de basquete Dennis Rodman. O canadense Michael Spavor, condenado a 11 anos de prisão na China por espionagem, é um especialista em Coreia do Norte.

O homem, um dos poucos ocidentais que alcançou os escalões superiores do poder norte-coreano, serviu como intermediário por uma década entre as autoridades do isolado país e empresários, organizações e turistas estrangeiros.

Por exemplo, organizou as visitas de Dennis Rodman à Coreia do Norte, nas quais o ex-astro do Chicago Bulls selou uma surpreendente amizade com o líder do país, Kim Jong Un, a quem chegou a cantar parabéns de aniversário.

Tudo isso foi possível graças à proximidade entre Spavor e o líder norte-coreano, que apareceram juntos em inúmeras fotos.

Nascido em Calgary, na província de Alberta (oeste do Canadá), Spavor se apaixonou pela Coreia do Norte durante uma estada em Seul no final da década de 1990.

Anos depois, em 2005, passou vários meses na capital norte-coreana trabalhando para uma associação canadense. Desde então, e até sua prisão no final de 2018, ele não parou de ir para Pyongyang.

Michael Spavor tinha sua sede de trabalho na cidade chinesa de Dandong, onde foi julgado em meados de março. A cidade está localizada na fronteira com a Coreia do Norte e é o principal ponto de passagem entre os dois países.

O canadense é diretor do "Paektu Cultural Exchange", que é descrito em sua conta no Facebook como "uma organização não governamental internacional que facilita os intercâmbios esportivos, culturais, turísticos e comerciais" com a Coreia do Norte.

"Paektu" é o nome da montanha mais alta da Coreia do Norte, onde Kim Jong Il, o pai do atual governante, teria nascido.

Spavor, que é fluente em coreano, era intermediário para empresas estrangeiras que desejavam se estabelecer em Pyongyang.

Sua mediação era especialmente útil, já que a Coreia do Norte está sujeita a várias sanções internacionais devido ao seu programa nuclear.

- Michael Kovrig -Ex-diplomata em Pequim, o canadense Michael Kovrig trabalhou como consultor do International Crisis Group até sua prisão em 10 de dezembro de 2018.

Ele compartilha sua experiência sobre a China e publica regularmente análises geopolíticas para mídias especializadas.

Formado em Relações Internacionais, o diplomata de carreira de 49 anos foi detido durante um ano sabático.

Ele já havia trabalhado na Embaixada do Canadá em Pequim, Hong Kong e nas Nações Unidas. Fala mandarim e as pessoas ao seu redor o descrevem como uma pessoa reservada.

Para manter o moral alto, devorou livros, especialmente de filosofia, mas também "biografias de pessoas que passaram pelo mesmo tipo de provação que ele", segundo contou à AFP sua esposa Vina Nadjibulla, que mora em Toronto.

Filho de uma tcheca e um húngaro, esse fã de Leonard Cohen e dos roqueiros britânicos do grupo Sisters of Mercy também se dedicou à música; em sua juventude, participou brevemente de uma banda punk.

Kovrig estava detido em uma cela de menos de 10 metros quadrados, segundo a mídia, onde tentava dar 7 mil passos por dia, de acordo com sua esposa.

Durante os seis meses que passaram na prisão, Kovrig e Spavor suportaram horas de interrogatório e foram forçados a dormir com as luzes acesas, disseram à AFP várias pessoas próximas ao caso.

bur-rox/mlb/at/bl-rsc/me/mr/rpr