PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

China anuncia novos confinamentos após aumento de casos de covid-19

Trabalhador de saúde coleta uma amostra de homem para testar o coronavírus em uma estação em Pequim  - Noel Celis/AFP
Trabalhador de saúde coleta uma amostra de homem para testar o coronavírus em uma estação em Pequim Imagem: Noel Celis/AFP

Em Pequim

25/10/2021 07h15

As autoridades chinesas determinaram o confinamento de dezenas de milhares de moradores do norte do país e pediram aos habitantes da capital que limitem os deslocamentos após o aumento de casos de covid-19, a apenas 100 dias do início dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.

A China identificou 39 novos casos de covid-19 hoje e mais de 100 durante a semana passada. Muitos contágios estão relacionados com os deslocamentos de um grupo de turistas.

O governo chinês, que adota uma política de "tolerância zero" a respeito do vírus, reagiu rapidamente com a imposição de restrições, assim como a organização de campanhas de teste nas regiões afetadas.

A China vai começar a vacinar contra a covid-19 crianças a partir dos 3 anos. Os governos locais de nível municipal e provincial emitiram nos últimos dias, em pelo menos cinco províncias, avisos anunciando que as crianças de 3 a 11 anos serão obrigadas a ser vacinadas.

Maratona adiada em Pequim

Pequim, cidade que receberá os Jogos Olímpicos de Inverno a partir de 4 de fevereiro, adiou por tempo indeterminado a maratona que estava prevista para 31 de outubro e contaria com a participação de quase 30 mil corredores.

"A prova foi adiada para evitar o risco de transmissão epidêmica", anunciaram os organizadores.

Um funcionário do governo da capital chinesa pediu aos moradores que evitem viagens "desnecessárias" para fora da cidade e encontros com muitas pessoas.

Qualquer pessoa procedente de uma região onde foram identificados casos de covid-19 deve apresentar um teste negativo, anunciaram as autoridades.

Os novos casos de covid-19 foram detectados em 11 províncias, a maioria na região norte do país.

Em Ejin, uma cidade na Mongólia Interior, norte do país, quase 35 mil pessoas foram confinadas a partir de hoje por um período de duas semanas.

Em algumas cidades do norte do país, incluindo Lanzhou, capital da província de Gansu, os serviços de ônibus e táxi foram suspensos. Além disso, os locais turísticos foram fechados.

Ontem, as autoridades já haviam anunciado a suspensão das viagens turísticas organizadas a cinco áreas onde casos de covid-19 foram registrados, incluindo Pequim.

Internacional