Funcionários protestam contra municipalização de hospital no Rio

Servidores do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, na zona oeste do Rio, protestaram hoje (11) contra a municipalização desta unidade de saúde, entregue pelo governo do estado à prefeitura. Os funcionários dizem que, na verdade, o hospital está sendo privatizado e não municipalizado, já que vai ser gerido por uma organização social (OS).

O grupo de manifestantes ocupou parte das dependências do hospital e paralisou o trânsito na frente do prédio durante cerca de 20 minutos. Segundo a presidenta da Associação dos Funcionários do Hospital Rocha Faria, Clara Fonseca, cerca de 300 pessoas ocuparam o prédio para pedir uma definição do estado com relação ao remanejamento dos servidores estaduais do Rocha Faria.

Segundo Clara, um possível remanejamento dos servidores para outras unidades do estado será prejudicial para os trabalhadores porque muitos moram na região do entorno do hospital. "Querem que a gente vá para outras unidades do estado, só que elas são longe da Rocha Faria. Como tirar funcionários de mais de 30 anos de casa, com a vida toda construída aqui, sem receber nenhuma gratificação pelos anos de serviço prestado ao estado?", questionou Clara.

A manifestação ocorreu durante uma reunião entre os secretários municipais de Governo, Pedro Paulo, e de Saúde, Daniel Soranz, com representantes do hospital e profissionais da secretaria, para elaboração do primeiro diagnóstico da unidade.

Pedro Paulo pediu que a questão dos servidores seja discutida com o governo do estado porque a prefeitura não tem instrumentos de negociação com o servidor do estado, já que não é a fonte pagadora. "Estamos aqui para ajudar, não estamos aqui para criar qualquer tipo de conflito. A manifestação dos servidores é absolutamente legítima e eu acredito que eles têm que buscar seus direitos."

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que a transferência dos servidores está sendo conduzida pelas equipes de recursos humanos da Secretaria de Saúde. "A secretaria ressalta que a prioridade, durante o processo de municipalização das unidades, é garantir o atendimento à população. A transferência de funcionários será conduzida de forma a atender às necessidades do quadro profissional das unidades da rede estadual."

De acordo com o governo do estado, o Hospital Rocha Faria é especializado em serviços de urgência, emergência e ambulatório, com média mensal de 10 mil atendimentos. A unidade conta com 300 leitos, sendo 87 da maternidade.

Para melhorias na unidade, a prefeitura projeta investir de imediato R$ 54,158 milhões no Rocha Faria e estima gastar R$ 141,975 milhões por ano em verbas de custeio da unidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos