Justiça mandar bloquear apartamento do publicitário João Santana

O juiz federal Sérgio Moro determinou hoje (22) o sequestro de um apartamento registrado em nome do publicitário João Santana e de sua mulher, Mônica Moura, localizado em São Paulo. A decisão foi motivada pela suspeita de investigadores da Operação Lava Jato de que o apartamento foi pago com dinheiro procedente de uma conta secreta na Suíça.

Em outra medida cautelar contra os investigados na nova fase da Lava Jato, Moro decretou o bloqueio das contas pessoais de João Santana, de sua esposa, do engenheiro Zwi Skornicki, representante do Estaleiro Keppel Fels no Brasil, e do funcionário da empreiteira Odebrecht Fernando Migliaccio.

A construtora Odebrecht confirmou, por meio de nota, que agentes da Polícia Federal realizam ações nos escritórios da companhia em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, visando ao cumprimento de mandados de busca e apreensão. Informou ainda que "está à disposição das autoridades para colaborar com a operação em andamento".

A defesa do publicitário João Santana e de Mônica Moura informou ao juiz federal Sérgio Moro que eles vão se entregar à Polícia Federal assim que desembarcarem no Brasil. Eles estão na República Dominicana e devem chegar nas próximas horas. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos