Barbosa encerra depoimento e Lewandowski determina intervalo de uma hora

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil

Terminou, há pouco, o depoimento do ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa no terceiro dia do julgamento do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff. Arrolado como testemunha de defesa de Dilma, Barbosa falou por mais de oito horas aos senadores.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que conduz o julgamento final do processo de impeachment, determinou uma hora de intervalo para que os senadores possam jantar e marcou o reinício dos trabalhos para as 19h40, quando será tomado o depoimento do professor Ricardo Lodi Ribeiro, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), última testemunha convocada pela defesa de Dilma.

Lewandowski perguntou aos advogados José Eduardo Cardozo, de defesa, e Janaína Paschoal, da acusação, se concordavam com a liberação das testemunhas convocadas para o processo, que estão incomunicáveis há três dias, mesmo depois de ter sido ouvidas. Cardozo e Janaína concordaram com a liberação das testemunhas.

Com o atraso nos trabalhos deste sábado (27), foi cancelada a reunião que Lewandowski teria, às 20h, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e líderes partidários, para definir os procedimentos para a próxima etapa do processo e para o depoimento de Dilma Rousseff, previsto para segunda-feira (29), a partir das 9h. Essa reunião deve ser realizada neste domingo (28).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos