Campanha carioca vai enviar alimentos para as vítimas do Haiti

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil

Uma campanha no Rio de Janeiro tem como meta arrecadar 100 toneladas de alimentos não perecíveis para as vítimas do furacão Matthew no Haiti, que matou mais de mil pessoas e deixou 62 mil pessoas desabrigadas no início de outubro.

Na segunda edição da campanha "Alimente a Esperança, ajude o Haiti", as doações estão sendo recebidas em todas as paróquias do Rio de Janeiro e no Hospital São Francisco na Providência de Deus, Rua Conde de Bonfim, 1.033, Tijuca, zona norte. Dentre os produtos pedidos estão: arroz, feijão, fubá, farinha de trigo, açúcar e macarrão.

Passagem do furacão Matthew no Haiti matou mais de mil pessoas e deixou 62 mil desabrigadosOrlando Barria/EPA/Agência Lusa/direitos reservados

Doações em dinheiro também serão aceitas. Os depósitos devem ser feitos em nome da Caritas - Arquidiocese do Rio, banco Bradesco, agência 0814-1, conta corrente 48500-4.

A primeira edição ocorreu há seis anos, quando um terremoto vitimou mais de 220 mil haitianos e assolou o país.  A iniciativa é da Arquidiocese do Rio de Janeiro e a Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, que mantém obra social no Haiti desde 2011.

"Pedimos que o carioca novamente dê uma demonstração de solidariedade para ajudarmos os nossos irmãos haitianos", disse o Frei Paulo Batista, diretor do Hospital São Francisco na Providência de Deus, no Rio de Janeiro.

Há cerca de três meses, a associação inaugurou no Haiti um novo Centro de Nutrição com capacidade para fazer até 60 atendimentos simultâneos. O espaço recebeu o nome da Dra. Zilda Arns, pediatra brasileira que fundou a Pastoral da Criança e que morreu no Haiti, onde estava em missão humanitária na época do terremoto. Atualmente, mais de 650 pessoas são assistidas diariamente pelo projeto missionário que leva alimentação, atendimentos em saúde e educação para a população local. Cerca de 200 famílias  recebem cestas básicas.

Semanalmente, médicos e enfermeiros atendem crianças e gestantes, que têm direito a medicamentos. Para quem passa pelo local, cerca de 2 mil pães, enriquecidos com uma multimistura que ajuda a combater a desnutrição, são distribuídos todos os dias. "O pão substitui o Té, um biscoito feito de barro que os haitianos usavam para enganar a fome", diz um dos responsáveis pela missão no Haiti, Frei Gabriel Alves.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos