Mais Médicos: governo quer punir profissional que romper contrato antes do prazo

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse hoje (8) que os próximos editais do programa Mais Médicos devem trazer maior facilidade para a escolha da localização onde os profissionais desejam atuar e também "restrições administrativas" para aqueles que romperem o contrato antes do prazo determinado.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, em entrevistaAntonio Cruz/ Agência Brasil

"Vamos estudar isso para o próximo edital", disse. O próximo chamamento está previsto para sair em três meses. "Para o próximo edital, nós vamos facilitar a localização do médico onde seja da sua conveniência e vamos dificultar o rompimento do contrato antes do prazo estabelecido", completou, sem dar maiores detalhes.

Barros garantiu ter absoluta tranquilidade de que, com as modificações que vêm sendo apresentadas pela pasta, mais profissionais brasileiros vão apresentar interesse em ocupar vagas do programa. "Estamos caminhando na direção que anunciamos desde o início. Renovaremos o Mais Médicos, mas com a visão de que, ao final, teremos brasileiros em todas as vagas", concluiu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos