Belo Horizonte cria rede de transporte especial para o carnaval

Léo Rodrigues - Correspondente da Agência Brasil

O maior carnaval da história de Belo Horizonte exigirá do poder público uma gestão eficiente para atender a demanda por transporte dos foliões e ao mesmo tempo minimizar os impactos dos congestionamentos. A expectativa é que as ruas sejam ocupadas, entre hoje (24) e quarta-feira (1º), por 2,4 milhões de pessoas . Para lidar com os desafios que a situação impõe, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) criou uma rede de transporte especial para estes dias.

O transporte coletivo não usará nem o quadro de horários de dia útil e nem de domingos e feriados. Foi elaborado um novo quadro levando em consideração a necessidade de reforço nas linhas que levarão os foliões a blocos de grande demanda, sobretudo nos horários previstos para o início e término dos desfiles. Também será estendido o funcionamento do metrô, que terá algumas estações abertas até as 3h da manhã, e será reforçado o atendimento pior meio do Bus Rapid Transit (BRT), que na capital mineira é conhecido como Move.

Segundo Deusuite Matos, diretora de Ação Regional e Operação da BHTrans, o planejamento de transporte para o carnaval levou em conta os problemas da experiência do ano passado. Em alguns horários, principalmente a noite, na saída dos blocos, a demanda de passageiros foi bem superior ao normal e pontos de ônibus ficaram cheios.

Outra medida adotada para este ano a partir do que foi observado em 2016 é a criação de desvios fixos para as linhas de ônibus. "No ano passado, tivemos alguns problemas de planejamento. Nós ficamos correndo atrás dos blocos. Conforme o desfile ia fechando as vias, nós íamos desviando o trânsito. O usuário de ônibus ficava confuso, porque cada hora sua linha estava passando em um lugar diferente. Muitas vezes, era para o itinerário estar regularizado, mas os blocos são dinâmicos e acabavam extrapolando os horários previstos, nos forçando a criar novos desvios", lembra Deusuite Matos.

A solução encontrada foi delimitar onde está a concentração da maior parte dos blocos, no centro da cidade. Nesta área, o transporte público não irá entrar, e as linhas que normalmente passam por ele adotarão as vias alternativas mais próximas. Dessa forma, os desvios serão fixos durante os dias do carnaval. Serão desativados cerca de 150 pontos de ônibus e, neles, serão afixados cartazes avisando ao usuário qual o local mais próximo onde poderá embarcar na sua linha.

Os novos trajetos também serão informados em avisos no interior dos veículos, assim como na página virtual da BHTrans. Por outro lado, o folião precisará ficar atento com o aplicativo lançado pela Prefeitura de Belo Horizonte com a programação do carnaval. Ele aponta as linhas de ônibus que poderão dar acesso a cada bloco, mas registra apenas o itinerário normal, sem as alterações. Segundo a BHTrans, devido ao curto tempo, não foi possível incluir os desvios fixos no aplicativo, mas essa é uma ideia que já está sendo trabalhada para o ano que vem.

Além das linhas municipais, a prefeitura de Belo Horizonte fechou contrato de patrocínio com a cervejaria Ambev na qual prevê que a empresa disponibilize 20 ônibus fazendo transporte gratuito dos foliões, entre os dias 25 e 28. O serviço funcionará das 11h às 22h, com saídas a cada 5 minutos da Avenida dos Andradas, no bairro Floresta. Os veículos circularão por vias da região centro-sul.

Trânsito

Deusuite Matos destaca que o aplicativo é útil não apenas para o folião. "Ele também serve para as pessoas que evitam o carnaval. Se elas quiserem se deslocar pela cidade, poderão consultar se existe algum bloco grande no seu caminho e avaliar como desviar dele", explica.

Para a diretora da BHTrans, é inevitável que tenhamos algum retardamento do trânsito, pois corredores grandes serão fechados. "As pessoas precisam ter esta compreensão. O carnaval é um momento de compartilhar o espaço público. E muitas vezes, tem mais gente no bloco do que pessoas presas no trânsito. De toda forma, a BHTrans está se esforçando para minimizar os impactos, apontando rotas alternativas e desvios", acrescenta.

A gestão do trânsito terá como aliado o sistema de georreferenciamento criado pela Prefeitura de Belo Horizonte. Instalada no Centro de Operações (COP-BH), ela trará uma mapa listando os blocos e mais diversas de informações que serão compartilhadas por todos os órgãos envolvidos no carnaval, como a Empresa Municipal de Turismo (Belotur), a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), etc.

"Teremos uma visão sistêmica do que está ocorrendo. Se você tem um bloco em uma determinada rua e pretende desviar o trânsito para outra via, é preciso conferir se não há outro desfile acontecendo ali. Com este sistema, fica mais fácil, porque vemos o que acontece simultaneamente", diz Deusuite. Por meio do georreferenciamento, também será possível ter acesso às imagens de 1,5 mil câmeras espalhadas pela cidade. A ferramenta ajudará na decisão de onde colocar os agentes de trânsito, otimizando recursos humanos, já que há vias onde o monitoramento será feito de forma remota. O sistema permite identificar com facilidade os hospitais e postos de saúde, cujas vias de acesso precisam ser preservadas.

Outra medida adotada pela BHTrans é a liberação dos estacionamentos rotativos sem a necessidade de utilização do telão. Belo Horizonte possui mais de 21 mil vagas de estacionamento rotativo, a maioria na região centro-sul, onde é preciso respeitar um tempo máximo de uma ou duas horas de permanência, exceto em domingos e feriados. Nos dias de carnaval, porém, esta exceção será estendida para o sábado e para a segunda-feira. Dessa forma, foliões poderão utilizar as vagas sem se preocupar com o horário para retirada do veículo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos