População de SP recebe orientação no Dia de Combate à Hipertensão Arterial

Ludmilla Souza - Repórter da Agência Brasil

Os paulistanos recebem, no Dia Nacional de Combate à Hipertensão, orientações sobre como prevenir e tratar a doença conhecida como pressão alta. Na Estação Butantã da Linha 4-Amarela do Metrô, na zona oeste de São Paulo, o Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas (HC) e a companhia ViaQuatro fazem exames e entregam informações até as 17h de hoje (26).

De acordo com o estudo Vigitel, do Ministério da Saúde, o diagnóstico de hipertensão arterial aumentou 14,2% no Brasil nos últimos 10 anos, principalmente entre mulheres. A pesquisa aponta a obesidade - que aumentou 60% nesse mesmo período - como um dos principais fatores responsáveis pelo índice observado não só na pressão alta, que agora atinge 25,7% da população, mas também no diabetes.

Além de reforçar a importância de aferir a pressão arterial, os profissionais dão informações sobre dieta, controle do estresse, indicação de atividade física e também sobre os direitos sociais das pessoas portadoras de hipertensão.

A auxiliar de limpeza Maria Aparecida dos Santos aproveitou a oportunidade para conferir o peso. "Vim ver meu peso, minha alimentação, porque estou um pouquinho acima do peso. Já passei pela nutricionista, agora vou medir a pressão". Já a caixa de loja Solange Soares da Silva também vai seguir as orientações nutricionais. "A pressão está em dia, mas a nutricionista me orientou para que eu possa melhorar minha alimentação, o resto está tudo muito bem".

Alerta para os jovens

O diretor da Unidade Clínica de Hipertensão do Incor, o médico Luiz Bortolotto, alerta que a hipertensão tem atingido outras faixas etárias. "O idoso é quem tem mais hipertensão, só que temos visto um crescimento nas faixas mais jovens, principalmente pelo aumento da obesidade, o sedentarismo e o consumo excessivo de sal".

Durante a campanha, os usuários participam de uma pesquisa, respondendo a um breve questionário sobre qualidade de vida, atividade física, nível de estresse, alimentação consumida, perfil sociodemográfico, além da medição da pressão arterial, peso e circunferência abdominal. O objetivo é identificar a incidência dos fatores de risco associados a hipertensão, com avaliação de enfermeiros, nutricionistas, farmacêuticos, psicólogos e fisioterapeutas.

O aposentado Onofre José dos Santos saiu da estação e se interessou pela campanha. "Achei muito boa a campanha porque os profissionais orientam a gente a respeito de alimentação, sal, tudo o que não devemos comer. Ainda vou levando os folhetos para a minha família".

O paisagista Décio Ribeiro de Campos também pretende levar a orientações que recebeu para a família. "Vou levar as orientações para o meu filho, ele precisa pois está engordando e quero ajudá-lo".

Bortolotto lembra que é preciso prevenir a doença desde cedo. "O primeiro alerta é: quem já tem pais, avós ou irmãos hipertensos tem que já cuidar desde jovem. Não consumir sal em excesso, evitar engodar, fazer atividade física, lidar melhor com o estresse, isso ajuda a retardar a hipertensão".

A campanha de orientação também acontece no centro da cidade, na Estação Sé do metrô (no acesso à Catedral da Sé e ao Poupa Tempo) hoje e amanhã (27), das 10h às 15h, em parceria entre uma indústria farmacêutica e o Metrô. O mutirão Saúde é Atitude faz exames e dará orientação médica sobre a hipertensão. As dicas vêm acompanhadas de materiais informativos, incluindo até um livro de receitas.

A doença

A hipertensão é caracterizada pela pressão arterial sistematicamente igual ou maior que 14 por 9. A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos sanguíneos se contraem. O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos, a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados, a pressão sobe.

No Brasil, a hipertensão atinge um em cada quatro adultos, ou seja, cerca de 25% da população está sujeita a apresentar sintomas de hipertensão. A taxa pode ultrapassar 50% na população acima de 60 anos. Hipertensos têm mais risco de infarto, derrame cerebral e insuficiência renal terminal.

Como prevenir a hipertensão

  • Reduza o consumo de sódio. O mineral está presente no sal de cozinha e em alimentos industrializados, como embutidos, temperos prontos e refrigerantes.

  • Consuma fibras. Elas estão presentes em frutas, verduras, legumes e cereais integrais, por exemplo.

  • Insira fontes naturais de ácidos graxos, como o Ômega 3, na alimentação. Algumas dessas fontes são peixes e oleaginosas.

  • Consuma laticínios com baixo teor de gordura. Estudos demonstraram que esses alimentos ajudam na redução da pressão arterial.

  • Pratique exercícios aeróbicos regularmente. Mas lembre-se que, antes de iniciar uma atividade física, é fundamental uma avaliação médica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos