Metrô-DF faz campanha para doação de cabelo no Outubro Rosa

Wendel Souza*

Em mais uma ação do Outubro Rosa, o Metrô-DF lançou oficialmente hoje (10) a campanha solidária "Corte e Compartilhe", que coleta mechas de cabelo para serem utilizadas na confecção de perucas para pacientes com câncer de mama em tratamento quimioterápico. Um stand foi montado na Estação Central (Rodoviária do Plano Piloto) para atender doadores.  

Participam da campanha profissionais do Instituto Hélio, representantes da Rede Feminina do Hospital de Base, Grupo Acreditar Oncologia D'Or, do CBV Hospital do Olhos, alunos da faculdade Icesp, o DJ Cottonet e a CIA de Dança Rodrigo Cruz. A ação tem por objetivo incentivar a doação de cabelos.

O atendimento aos doares funciona hoje (10), das 9h às 17h, nos dias 24, 26 e 31 de outubro. O corte é gratuito. A única exigência é que a mecha tenha no mínimo 10 centímetros (cm) de cumprimento. O corte é feito por professores e alunos do Instituto Hélio. Caso o doador queira levar a mecha já cortada, a madeixa deverá ter no mínimo 20 cm e guardada num saco plástico ou envelope. 

A campanha que acontece desde 2015 coletou 311 mechas. Em 2016, o número de doações chegou a 649. A expectativa é que as doações para 2017 supere mais de 100 madeixas, com relação ao ano passado.

O funcionário público Carlos Alexandre, 41 anos de idade, que não cortava o cabelo há cerca de um ano e meio, decidiu doá-lo para a campanha Corta e Compartilha. "Com a chegada do Outubro Rosa e as campanhas resolvi doar meu cabelo. Cabelo cresce de novo. Vale mais contribuir e ajudar as mulheres que precisam", disse.

Importância das mechas coletadas

Para a voluntária da Rede Feminina de combate ao câncer, Renata Lúcia, a campanha Corta e Compartilha contribui diretamente com o tratamento das pacientes. "Quando o cabelo cai, a mulher se sente exposta. Quando ganham uma peruca, além de melhorar a autoestima, que também contribui no tratamento, as mulheres recebem o amor de pessoas que doaram os seus cabelos", contou. 

"O câncer não é apenas uma doença do indivíduo, mas sim da família inteira e dos amigos, pois todos sofrem", acrescentou Renata.

Após receber as mechas, voluntárias da Rede Feminina do Hospital de Base de Brasília, num processo que exige muito trabalho, confeccionam as perucas. Além das madeixas, a confecção exige outros materiais, como: rendas, linhas e máquinas. "Nós [Rede Feminina] vivemos de doações. Para se confeccionar uma peruca, é necessário 11 metros de cabelo. É um processo muito trabalhoso. Mas feito com amor, tudo flui", concluiu. 

Com as 649 mechas coletadas no ano passado, foi possível confeccionar 100 perucas, segundo Renata.

Prevenção do câncer de mama

Na ocasião, o secretário de Saúde do governo de Brasília, Humberto Fonseca, alertou para a importância do autoexame como medida de suma importância para o diagnóstico primário da doença. "Saúde a gente faz desde o primeiro nível que é a conscientização com o autocuidado orientado", disse o secretário. 

O Distrito Federal (DF) é uma das unidades da federação com maior incidência desse tipo de câncer. Segundo os dados do Instituto Nacional do Câncer são 67,74 casos para cada 100 mulheres.

A ação no Metrô conta também com um stand atendendo mulheres e ensinando a fazer o autoexame do câncer de mama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos