Estudantes de Angra dos Reis recebem orientação sobre usina nuclear

A prefeitura municipal de Angra dos Reis, na Costa Verde, lançou nesta semana o projeto "Preparando o Amanhã", com a finalidade de levar conhecimento e informações para os estudantes do ensino fundamental (6º ao 9º ano), das escolas da rede municipal referente ao Plano de Emergência da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto.

A idealização do projeto surgiu diante da importância da energia nuclear no dia a dia em todos os setores, desde a medicina, indústria e alimentação.

A prefeitura informou que alunos de 13 escolas do ensino fundamental (6º ao 9° ano) participarão das palestras sobre a importância da energia nuclear no dia a dia das pessoas em todos os setores, desde a medicina, indústria e até alimentação. O ciclo de estudos começa no dia 2 de maio com previsão para terminar em agosto. Dentre as atividades está prevista uma visita ao Complexo Nuclear da Usina Nuclear de Angra dos Reis. O projeto deve ser estendido, em breve, para escolas estaduais e particulares do município.

De acordo com o secretário de Defesa Civil, Jairo Lima, "temos o intuito de orientar a comunidade escolar para desenvolver ações de prevenção e de abandono do local, em caso de necessidade, para que a escola e o lar se tornem um ambiente mais seguro".

A secretária de Educação, Stella Salomão,  lembrou a parceria antiga com a Defesa Civil desde as tragédias que assolaram a cidade, onde as escolas acabaram virando abrigo para as pessoas que perderam suas casas."Participar deste trabalho é um prazer, mas também é um dever. Escola é lugar de agregar conhecimento. Na rede municipal estão matriculados 22 mil estudantes que, ao passar o que aprenderam para seus familiares, elevam o número de pessoas comprometidas com as ações realizadas nas escolas para 100 mil envolvidos".

Usinas nucleares

A Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto conta com duas usinas únicas em operação, no país. A primeira é Angra 1, que entrou em operação comercial em 1985 e tem potência de 640 megawatts. A outra é Angra 2, que começou a operar em 2001 e cuja potência é 1.350 megawatts.

Para os próximos anos, está prevista a operação de Angra 3, em fase de construção. A usina será uma réplica de Angra 2, incorporando os avanços tecnológicos desenvolvidos desde a construção da segunda usina do complexo de Angra.

As usinas nucleares dão uma importante contribuição para a energia elétrica brasileira. Juntas, geram o equivalente a um terço do consumo de energia do estado do Rio de Janeiro. Elas também representam 3% da geração nacional de energia.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos