Greve afeta aulas, transporte coletivo e saúde em cidades paulistas

Municípios da grande São Paulo e do interior paulista decretaram situação de emergência em razão das consequências da greve dos caminhoneiros, que provocou desabastecimento, principalmente de combustíveis. A capital paulista decretou o estado de emergência ontem (25), decisão que será mantida por tempo indeterminado.

Guarulhos, na Grande São Paulo, tem situação crítica no transporte coletivo. Hoje, a cidade conta com 30% da sua frota e amanhã (27) terá 25% dos ônibus nas ruas. Na segunda-feira (28), está prevista uma frota de 40% dos veículos (367 ônibus). Foram suspensos serviços de zeladoria, tapa-buracos, feiras livres e coleta de lixo doméstico. A coleta de resíduo hospitalar terá prioridade nos hospitais de maior movimento. O serviço funerário está garantido até quarta-feira (30).

Diadema suspendeu as coletas de análises clínicas e o transporte de fisioterapia. O recolhimento dos Ecopontos (entulho, madeira, móveis e sobra de construção) está suspenso, já que foi priorizada coleta de lixo doméstico - o combustível para remoção de lixo dura até terça-feira (29).

São Lourenço da Serra suspendeu as aulas, já que foram afetados o transporte de alunos e o recebimento da merenda escolar. A cidade vai racionar o pouco combustível que ainda resta. "O combustível que tem, vamos guardar para ambulância, porque não sabemos quantos dias vai durar [a paralisação]", disse o prefeito Ary Antonio Despeezio Cintra, nas redes sociais.

Interior

A Prefeitura de Campinas fechou hoje os centros de saúde São José, Jardim Aurélia, Jardim Capivari, Vila Ipê, Santa Lúcia, Vista Alegre, Santo Antônio, DIC I, União dos Bairros, Jardim Aeroporto e Parque Valença. O atendimento durante a semana, quando a procura é maior, será priorizado. Eventos culturais que ocorreriam de hoje até segunda-feira (28) foram adiados.

Sorocaba paralisou o transporte coletivo, que estava sem receber diesel desde terça-feira (22). Os ônibus são abastecidos em dias alternados. Na cidade, circulam 371 ônibus, sendo que essa frota gasta, em média, 40 mil litros por dia. A cidade tem 107 linhas de ônibus, nos quais circulam diariamente cerca de 120 mil passageiros.

Boituva informou que guarda o combustível restante para os setores de segurança e saúde. As aulas na rede municipal estão suspensas a partir de segunda-feira (28). "Não haverá transporte coletivo no domingo para economizar, e retornaremos a normalidade na segunda-feira", disse o prefeito Fernando Lopes da Silva.

A cidade de Rio Claro suspendeu as aulas na próxima semana porque não há merenda. Foi reduzido o expediente na Prefeitura e paralisada a utilização dos veículos da frota municipal - apenas veículos de urgência e emergência da saúde foram poupados.

Limeira paralisa amanhã (27) o transporte coletivo, que volta a operar com metade da capacidade na segunda. A cidade conseguirá manter a coleta de lixo até depois de amanhã. As aulas na rede municipal também serão normais na próxima semana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos